Invest

As ações mais baratas do Ibovespa, segundo o múltiplo preço/lucro (P/L)

Indicador é uma das ferramentas para avaliar oportunidades no mercado; bolsa brasileira vem de maior alta semanal desde o ano passado

Operador na antiga Bovespa (Mauricio Lima/AFP/Getty Images)

Operador na antiga Bovespa (Mauricio Lima/AFP/Getty Images)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 15 de abril de 2023 às 07h31.

Última atualização em 15 de abril de 2023 às 09h36.

A melhora da percepção fiscal a partir da apresentação do arcabouço fiscal e dados mais fracos de inflação aumentaram o apetite ao risco nos últimos dias.  Isso tudo refletiu em preço nas bolsas de valores. Realizações de lucros na sexta-feira, 14, levaram o Ibovespa a fechar em queda. O movimento, no entanto, foi insuficiente para ofuscar sua melhor semana do ano. A alta semanal foi de 5,4% no período, a maior desde dezembro de 2022. Aos 106.279 pontos, o mercado ainda vê espaço para novas altas.

Para o BB Investimentos, o Ibovespa ainda pode chegar a 127.000 pontos no fim do ano. Mesmo a Genial Investimentos, que se diz "neutra" quanto às perspectivas para bolsa, acredita em espaço para alta, com previsão de 111.700 pontos para o Ibovespa. A projeção, inclusive, foi revisada para cima na última semana, com a casa deixando de lado sua perspectiva mais pessimista para a bolsa.

O que é o indicador preço/lucro

Ainda que a perspectiva tenha melhorado para o Ibovespa, escolher boas ações é fundamental para extrair retornos consistentes. Mas o preço também tem um papel importante nessa equação. E uma das formas de saber se uma ação está barata ou cara é pelo múltiplo preço/lucro (P/L). Simples, a fórmula nada mais é do que o valor de mercado da companhia dividido pelo lucro dos últimos 12 meses. De forma geral, quanto mais baixo, mais barato.

Como analisar ações com o múltiplo P/L

O múltiplo, obviamente, não deve ser utilizado isoladamente para definir se uma ação está ou não barata. Fatores como a empresa ser estatal, uma holding, ou mesmo ter baixa confiança do mercado são fatores que, por exemplo, tornam esse múltiplo baixo. Por outro lado, empresas com alta confiança do mercado ou com perspectiva de grande crescimento costumam ter um P/L elevado, podendo dar uma falsa interpretação de que a ação está cara.

Para não cair nesse tipo de armadilha, é aconselhável fazer a análise do P/L em comparação com o de outras empresas semelhantes, não isoladamente. Vale ressaltar ainda que o P/L não serve para avaliar empresas com lucro líquido negativo. Mesmo assim, esta pode ser uma poderosa ferramenta como ponto de partida para filtrar as diversas oportunidades do mercado antes de partir para uma análise mais profunda de uma determinada ação.

Com base em dados da plataforma Fundamentus, a Exame Invest separou as 25 ações com os mais baixos múltiplos P/L do Ibovespa. Confira a lista.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresIbovespaAçõesAnálises fundamentalistas

Mais de Invest

Realização de lucros? Buffett vende R$ 8 bilhões em ações do Bank of America

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 53 milhões

O que é private equity e como funciona?

Quanto rendem R$ 20 mil por mês na poupança?

Mais na Exame