Mercados

As 11 empresas que estão comprando as próprias ações

Maioria irá cancelar os papéis e gerar valor aos acionistas


	1,77% das ações da Iguatemi vão ser usadas para a bonificação de executivos da empresa
 (FERNANDO MORAES/EXAME)

1,77% das ações da Iguatemi vão ser usadas para a bonificação de executivos da empresa (FERNANDO MORAES/EXAME)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de agosto de 2012 às 08h24.

São Paulo – O momento desfavorável do mercado, com os preços das ações caindo, levou empresas como MRV, Banco do Brasil, JBS, Cyrela e Iguatemi a recomprarem as próprias ações no mercado. Apenas nos últimos 15 dias, 5 empresas listadas na BM&FBovespa anunciaram programas de recompra de suas próprias ações. Em julho, outras 6 já haviam feito o mesmo. Segundo dados compilados pela Bloomberg, no mesmo período, três empresas na Índia, uma na Rússia e nenhuma na China fizeram o mesmo.

Em um tempo de vacas magras na bolsa, a atuação de mais uma força compradora não é de se desprezar. A recompra é a opção escolhida quando a empresa considera que suas ações estão sendo sub-precificadas. “Nada mais que um investimento”, explica Antenor Fernandes, sócio da STK Capital. Além disso, isso sinaliza aos investidores que a companhia está bem financeiramente. “Uma empresa muito endividada não vai fazer isso”, diz Antenor. É um investimento e uma aposta no próprio negócio da empresa, que depois pode revender as ações a preços mais justos ou então cancelá-las, diminuindo sua base acionária e aumentando o lucro de seus acionistas.

Há também a possibilidade de utilizar os papéis em um programa de bonificação de executivos com opções de compra, como é o caso da Iguatemi, que vai recomprar 1,77% de suas ações com o objetivo de mantê-las em tesouraria para fazer frente ao plano de opção de compra de ações. As demais que iniciaram os programas a partir do segundo trimestre têm como objetivo a permanência das ações em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento. Dessa forma, com uma base acionária menor, a empresa pode maximizar a geração de valor para os acionistas. Para Fernandes, as empresas que escolhem esse caminho são as que têm foco na rentabilidade do acionista.

“O natural é investir no crescimento, mas como a bolsa nem sempre reflete o valor dos negócios das empresas, a recompra de ações muitas vezes é um investimento melhor”, explica Antenor Fernandes. Ele completa dizendo que, como a empresa já conhece seu negócio e seu potencial de retorno, a relação entre o risco e retorno é mais favorável com a aquisição de suas próprias ações. Para Carlos Eduardo Rocha, sócio da Plural Capital, algumas empresas não têm a percepção do próprio valor delas e por isso não utilizam tanto esse recurso. “Essa atitude aumenta a confiança do investidor e é um dos melhores indicadores em relação ao desempenho da empresa”, explica. 


Banco do Brasil

Recompra – entre 13/07/2012 e 09/01/2013

Quantidade- 50.000.000 ações, que representam 5,73% dos papéis em circulação.

Motivo – maximizar a geração de valor para os acionistas.

Corretoras – Votorantim, Concórdia, BGC, Ágora.

Variação do BBAS3 na Bovespa em 12 meses - -0,47% (Ibovespa 13,05%)

BHG

Recompra - entre 07/07/2012 e 07/07/2013 

Quantidade – 1.530.160 ações, que representam 6,85% dos papéis em circulação. 

Motivo – permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento.

Corretoras – Credit Suisse, Itaú, Bes Securities do Brasil, Merrill Lynch, XP Investimentos.

Variação do BHGR3 na Bovespa em 12 meses: +9,42% (Ibovespa 13,05%)

 

Bradespar

Recompra – entre 26/07/2012 e 31/01/2013

Quantidade – 500 000 ordinárias (1,88% do total em circulação) e 1.000.000 preferencias (0,44%)

Motivo - permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento

Corretoras – Bradesco e Ágora

Variação do BRAP4 na Bovespa em 12 meses: -6,27% (Ibovespa 13,05%)

 

Braskem

Recompra – entre 13/08/2012 e 28/08/2013

Quantidade - 13.376.161 ações, que representam 5% dos papéis em circulação.

Motivo - permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento

Corretoras – Itaú, Santander, Morgan Stanley, Citigroup, J.P. Morgan, Deutsche Bank.

Variação do BRKM3 na Bovespa em 12 meses: -11,99% (Ibovespa 13,05%)

 

Cyrela Brazil Realty

Recompra - entre 10/08/2012 e 13/08/2013

Quantidade - 20.832.941 ações, que representam 7,64% dos papéis em circulação

Motivo – maximizar a geração de valor para os acionistas

Corretoras – Citigroup e Itaú

Variação do CYRE3 na Bovespa em 12 meses: + 25, 94% (Ibovespa 13,05%)

 

Iguatemi

Recompra- entre 20/8/2012 e 20/8/2013

Quantidade – 792.554 ações , que representam 1,77% dos papéis em circulação

Motivo - manutenção de ações em tesouraria exclusivamente para fazer frente ao “Plano de Opção de Compra de Ações” da companhia.

Corretora: Itaú e Credit Suisse

Variação do IGTA3 na Bovespa em 12 meses: +48,39% (Ibovespa 13,05%)


JBS

Recompra – entre 14/08/2012 e 14/08/2013

Quantidade - 64.000.000 ações, que representam 3,93% dos papéis em circulação

Motivo- permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento

Corretoras – BTG Pactual, CM Capital Markets, Concórdia, Conveção, Fator, Icap do Brasil, J. Safra, Brasil Plural, Link, Votorantim, XP Investimentos.

Variação do JBSS3 na Bovespa em 12 meses: +39,90% (Ibovespa 13,05%)

 

Localiza

Recompra - entre 19/07/2012 e 19/07/2013

Quantidade - 8.447.000 ações, que representam 6,49% dos papéis em circulação.

Motivo – maximizar a geração de valor para os acionistas

Corretoras – Brasil Plural, Credit Suisse.

Variação do RENT3 na Bovespa em 12 meses: +44,59% (Ibovespa 13,05%)

 

Magnesita

Recompra - entre 15/08/2012 e 15/08/2013

Quantidade- 8.581.563 ações, que representam 5% dos papéis em circulação.

Motivo - maximizar a geração de valor para os acionistas.

Corretoras – Itaú, Deutsche Bank, Credit Suisse.

Variação do MAGG3 na Bovespa em 12 meses: +16,73% (Ibovespa 13,05%)

 

MRV

Recompra – entre 09/07/2012 e 09/08/2013

Quantidade - 10.000.000 ações, que representam 3,20% dos papéis em circulação.

Motivo- maximizar a geração de valor para os acionistas, as ações poderão ser canceladas.

Corretoras – Santander, Credit Suisse, Bradesco, BTG Pactual, Itau, Brasil Plural, HH Picchioni.

Variação do MREV3 na Bovespa em 12 meses: +5,96% (Ibovespa 13,05%)

 

QGEP

Recompra – entre 09/07/2012 e 09/07/2013

Quantidade - 2.699.826 ações, que representam 3,38% dos papéis em circulação.

Motivo - para permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento.

Corretoras - Credit Suisse, Itaú

Variação do QGEP3 na Bovespa em 12 meses: +31,61% (Ibovespa 13,05%)

Acompanhe tudo sobre:B3BancosBB – Banco do BrasilBHGbolsas-de-valoresBradesparBraskemCarnes e derivadosConstrução civilCyrelaEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasFranquiasHoldingsIguatemiJBSLocalizaMagnesitaMateriaisMRVQuímica e petroquímicaRestaurantesServiços diversosShopping centers

Mais de Mercados

O que esperar do mercado após ataque a Trump

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Mais na Exame