Mercados

Após assembleia, ações do Magazine Luiza ultrapassam os R$ 600

Mesmo antes de anunciar ao mercado o resultado da votação dos acionistas, a ação superou os R$ 600, e fechou entre as maiores altas da B3

Magazine Luiza: Magazine Luiza ON fechou com alta de 10,22% (Germano Lüders/Site Exame)

Magazine Luiza: Magazine Luiza ON fechou com alta de 10,22% (Germano Lüders/Site Exame)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 4 de setembro de 2017 às 19h15.

São Paulo - O Magazine Luiza realizou nesta segunda-feira, 4, uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para deliberar sobre o desdobramento da ação da companhia na razão de 1 para 8. Mesmo antes de anunciar ao mercado o resultado da votação dos acionistas, a ação superou os R$ 600, e fechou entre as maiores altas da B3.

Magazine Luiza ON fechou com alta de 10,22%, com a cotação de R$ 621,79. Com esse preço, a ação desdobrada em 8 passaria a valer R$ 77,72. Segundo operadores, a maior liquidez do ativo provocada pela operação, e os seguidos bons resultados recentes apresentados pela rede varejista devem impulsionar o papel no curto prazo.

Na semana passada, o BTG Pactual atualizou suas estimativas para o Magazine Luiza, projetando que em cinco anos, 50% da margem bruta venha das vendas online, sejam diretas ou por meio do marketplace. Para os analistas, o Magazine Luiza se posiciona melhor que seus concorrentes no e-commerce, que está em crescimento no Brasil. Para o BTG, a rede deve entregar resultados acima da média e ser um "concorrente vencedor" nas vendas pela internet.

"A grande aposta da rede para a próxima década é o marketplace", declarou na última semana o presidente da rede, Frederico Trajano, após ter participado do evento Latam Retail Show, em São Paulo. O grande impulso foi dado no final de março, com a compra da startup de tecnologia IntegraCommerce, o que facilitou e acelerou a inclusão de novos vendedores na plataforma do Magazine Luiza. "Saímos de menos de 10 sellers no primeiro trimestre para mais de 350, e a perspectiva é chegar a 500 no final do ano", afirmou Trajano.

Acompanhe tudo sobre:AçõesB3Conselhos de administraçãoMagazine Luiza

Mais de Mercados

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Balanços de bancos americanos, PPI dos EUA e pesquisa de serviços do Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame