Mercados

Antigo dono quer comprar BR Properties e ações sobem 7%

A GP Investments fundou a BR Properties em dezembro de 2006


	A GP Investments fundou a BR Properties em dezembro de 2006 com um investimento inicial de 25 milhões de dólares
 (Guilherme Costa/Divulgação)

A GP Investments fundou a BR Properties em dezembro de 2006 com um investimento inicial de 25 milhões de dólares (Guilherme Costa/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 11 de dezembro de 2015 às 10h56.

São Paulo – As ações da BR Properties (BRPR3) subiam 7% no pregão de hoje após a GP Investments anunciar que pretende realizar uma oferta pública para adquirir o controle da companhia.

A GP Investments, por meio da subsidiária GP Real Properties, quer comprar entre 37,8% e 62,8% das ações da BR Propoerties por um preço de 10 reais por ação. O valor equivale a um prêmio de mais de 20% em relação ao valor que os papéis eram negociados até quinta-feira (10), que era de 8,27 reais.

Ontem, a GP adquiriu 12,19% das ações da BR Properties em um leilão de ações realizado na Bolsa

Antigo dono

A GP Investments fundou a BR Properties em dezembro de 2006 com um investimento inicial de 25 milhões de dólares. O dinheiro veio de um fundo de private equity da GP, o GP Capital Partners III, L.P. (GPCPIII) e alguns investidores.

Em 2010, a BR Properties fez uma oferta inicial de ações (IPO). Na época a GP vendeu 26% da sua participação na companhia. No ano seguinte a empresa vendeu outros 24% que tinha da BR Properties.

Em 2012, a GP se desfez dos 50% restantes por um valor de 121 milhões de dólares, segundo informações da própria companhia. 

"A GP Investments acredita que a existência de um novo acionista relevante ativamente envolvido na condução dos negócios da BR Properties permitirá à BR Properties se concentrar no desenvolvimento e execução de um plano estratégico de longo prazo e na expansão de seu portfólio de ativos", afirmou a empresa em comunicado divulgado nesta sexta-feira. 

Acompanhe tudo sobre:AçõesBR PropertiesEmpresasEmpresas abertasGP InvestmentsHoldingsIbovespaMercado financeiroShopping centers

Mais de Mercados

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Balanços de bancos americanos, PPI dos EUA e pesquisa de serviços do Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame