Acompanhe:

Americanas: comitê independente escolhe assessores para começar investigação sobre rombo de R$ 20 bi

Grupo terá assessoria do escritório Maeda, Ayres & Sarubbi e da empresa de auditoria EY

Modo escuro

Americanas: comitê foi anunciado por Sergio Rial, que renunciou ao cargo de CEO da varejista (Dado Galdieri/Bloomberg/Getty Images)

Americanas: comitê foi anunciado por Sergio Rial, que renunciou ao cargo de CEO da varejista (Dado Galdieri/Bloomberg/Getty Images)

R
Raquel Brandão

Publicado em 26 de janeiro de 2023, 17h34.

Última atualização em 26 de janeiro de 2023, 17h56.

O comitê independente que irá investigar as inconsistências contábeis de R$ 20 bilhões que levaram a Americanas (AMER3) ao pedido de recuperação judicial vai ter assessoria do escritório Maeda, Ayres & Sarubbi e da empresa de auditoria EY. A chegada do escritório de advocacia especializado em compliance e da firma de auditoria era o passo que faltava para o comitê começar, de fato, seu trabalho, que deverá apontar se houve ou não fraude nos balanços da varejista.

O comitê foi anunciado por Sergio Rial, que renunciou ao cargo de CEO da varejista após a descoberta, em 12 de janeiro, dia em que o executivo deu mais informações sobre as inconsistências contábeis que descortinou em fato relevante na noite anterior.

A formação do comitê foi posteriormente confirmada em comunicado da companhia na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas passou por alterações desde então. Saiu Pedro Mello e entrou Eduardo Flores, professor da Universidade de São Paulo e membro do conselho da Fundação IFRS desde 2021.

O advogado e ex-diretor da CVM, Otavio Yazbek, segue como coordenador, bem como também continua no comitê Vanessa Lopes, com experiência no comitê de auditoria e no conselho de administração da própria varejista, além de companhias como a Light, de energia, Afya, de educação, e a fabricante de aeronaves Embraer, por exemplo.