Acompanhe:

Americanas (AMER3) deixa o Ibovespa valendo menos de R$ 1 e agora é “penny stock”

Ação foi excluída do índice após a empresa entrar em recuperação judicial

Ações da Americanas (AMER3) acumulam queda superior a 90% no ano (Americanas/Divulgação)

Ações da Americanas (AMER3) acumulam queda superior a 90% no ano (Americanas/Divulgação)

B
Beatriz Quesada

Publicado em 20 de janeiro de 2023, 19h59.

Última atualização em 20 de janeiro de 2023, 20h01.

As ações da Americanas (AMER3) fecharam seu último dia de negociação no Ibovespa valendo menos de R$ 1. O papel caiu 29% hoje e fechou em seu menor valor da história, cotado a R$ 0,71. Na mínima do dia, as ações chegaram a cair para R$ 0,64.

Esta sexta-feira, 20, foi o último dia de negociação da varejista no Ibovespa, uma vez que nenhuma empresa em recuperação judicial pode ter seus papéis nos índices da B3. Se não fosse a RJ, as ações de AMER3 também seriam excluídas por serem “penny stocks”, termo que se refere às ações que valem centavos – menos de R$ 1. 

Os papéis da varejista recuam 92,6% no ano, com mais de 90% da queda vinda após o pregão do dia 12, o primeiro em que o mercado reagiu ao rombo descoberto nas contas da empresa.

Na noite do dia 11, a varejista divulgou fato relevante informando ter encontrado inconsistências contábeis na ordem de R$ 20 bilhões. O então CEO Sérgio Rial e o CFO André Covre renunciaram imediatamente após apenas nove dias no cargo.

O que se seguiu foi o aprofundamento da crise com a empresa entrando em uma briga com os bancos credores. Um dos mais recentes capítulos do imbróglio veio nesta quinta-feira, quando a empresa entrou em recuperação judicial (RJ) – a quarta maior da história do mercado brasileiro.

Somadas as inconsistências contábeis às demais dívidas da Americanas, o valor declarado à Justiça pela empresa é de aproximadamente R$ 43 bilhões. Constam da petição inicial pelo menos 16.300 credores.

LEIA TAMBÉM