Ações da Rolls-Royce saltam após acordo em casos de corrupção

Os papéis da empresa tinham alta de 6% depois do anúncio de um acordo em casos de investigação por corrupção
Rolls-Royce: previsão de lucro de 2016, que deve superar expectativas, também anima os investidores (Divulgação)
Rolls-Royce: previsão de lucro de 2016, que deve superar expectativas, também anima os investidores (Divulgação)
R
Reuters

Publicado em 17/01/2017 às 08:06.

Última atualização em 17/01/2017 às 11:38.

Londres - As ações da Rolls-Royce avançavam mais de 6 por cento nesta terça-feira, após a fabricante de motores aeroespaciais britânica fechar acordo em uma longa investigação de suborno e corrupção e afirmar que o lucro de 2016 vai superar as expectativas.

A notícia sobre o lucro veio como um impulso para a empresa após um período de 18 meses de redução de custos e reestruturação liderada pelo seu presidente-executivo, Warren East, que foi contratado para estabilizar a empresa em meados de 2015, após uma série de alertas de resultado.

Analistas disseram que o acordo da Rolls-Royce com autoridades britânicas, norte-americanas e brasileiras sobre uma investigação de suborno também ajudou a remover uma nuvem que paira sobre a empresa desde 2013, embora a penalidade tenha ficado acima do esperado.

A empresa vai pagar 671 milhões de libras (813 milhões de dólares) para encerrar investigações ligadas a casos de suborno e corrupção envolvendo intermediários.

Sandy Morris, analista da Jefferies, disse que o impacto da multa no acordo foi mitigado pela decisão das autoridades de concordarem em dividir o pagamento em cinco anos, o que significa que o impacto financeiro sobre a empresa foi "negativo, mas benigno".

A Rolls-Royce disse em um comunicado na segunda-feira que terminou o ano forte, o que significa que o lucro e o fluxo de caixa ficariam acima das expectativas.

As previsões dos analistas eram de lucro antes de impostos em 2016 de 686 milhões de libras (831,23 milhões de dólares), a metade do que havia conseguido no ano anterior.

A empresa disse que os acordos feitos com as autoridades envolveriam um pagamento de cerca de 293 milhões de libras pelo grupo no primeiro ano.

A companhia deve buscar aprovação judicial final para seu acordo com o Escritório de Fraude do Reino Unido (SFO, na sigla em inglês) nesta terça-feira.