Invest

Ações da MRV (MRVE3) desabam mais de 10% e lideram quedas do Ibovespa

Na véspera, a construtora divulgou a sua prévia operacional do terceiro trimestre e acendeu o alerta dos investidores

MRVE3: a construtora reportou a prévia do 3T23 ontem e hoje amarga a maior queda do Ibovespa (MRV/Divulgação)

MRVE3: a construtora reportou a prévia do 3T23 ontem e hoje amarga a maior queda do Ibovespa (MRV/Divulgação)

Janize Colaço
Janize Colaço

Repórter de Invest

Publicado em 18 de outubro de 2023 às 15h38.

Última atualização em 18 de outubro de 2023 às 17h49.

As ações da MRV (MRVE3) caíram forte nesta quarta-feira, 18. Na véspera, a construtora divulgou a sua prévia operacional do terceiro trimestre. Ainda que uma parte considerável tenha mostrado avanços, um dos indicadores acendeu o alerta dos investidores. Com isso, no fechamento, a MRVE3 liderou as quedas do Ibovespa hoje, com baixa de 10,08%, cotado a R$ 8,30.

De acordo com o report, durante o período, a empresa contabilizou R$ 2,2 bilhões nas vendas líquidas, alta de 54,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Junto a isso, a companhia aumentou os lançamentos para R$ 1,8 bilhão (crescimento trimestral de 41% e anual +3%), impulsionados por empreendimentos da Sensia, segmento de média renda da MRV.

No entanto, foram os números da Resia que fizeram o mercado ficar cauteloso. A operação da MRV nos Estados Unidos não reportou qualquer venda durante o terceiro trimestre, fato que resultou na queima de caixa de R$ 443 milhões.

BTG Pactual: visão construtiva, apesar de FCF fraco

Para os analistas do BTG Pactual (mesmo grupo controlador da EXAME), os resultados da MRV foram mistos, visto que as vendas foram parcialmente compensadas por lançamentos abaixo do esperado pelo banco, além da queima de caixa.

“A MRV está claramente mostrando uma recuperação nas operações do Brasil — o fluxo de caixa (FCF) está melhorando e os preços de venda estão crescendo bem —, mas a Resia não conseguiu vender um único projeto, o que prejudicou o FCF”, diz o relatório publicado nesta quarta.

Apesar disso, o banco mantém uma visão otimista para as ações da construtora. Segundo os analistas do BTG, ainda que seja assumido um “valor zero” para a Resia, as operações da MRV no Brasil estão com retorno sobre o patrimônio normalizado. “Ainda veríamos as ações sendo negociadas a aproximadamente 5 vezes Preço/Lucro, o que é definitivamente um motivo para reafirmar nossa classificação de compra para os papéis.”

Genial Investimentos: “copo meio cheio”

Enquanto isso, os analistas da Genial Investimentos reforçam que de um lado ocorreu um aumento no ticket médio para R$ 239 mil bem como um crescimento na velocidade de vendas. No entanto, a geração de caixa foi fraca para eles — o que afetou os resultados do terceiro trimestre da MRV.

“Com a geração de caixa de incorporação acumulada em R$ 330 milhões negativo no ano, achamos difícil acreditar que a MRV deve alcançar sua expectativa de R$ 0 a R$ 200 milhões no ano. Ainda assim, preferimos ver o copo meio cheio, dado o nível de precificação da MRV (preço sobre valor patrimonial de 0,9 vezes) e melhorias em indicadores operacionais relacionados à rentabilidade”, escrevem Luis Assis e Guilherme Vianna. 

Eles afirmam que tais indicadores reforçam a retomada de uma operação lucrativa para a construtora. Diante disso, a Genial reiterou a sua recomendação de compra de MRVE3.

Acompanhe tudo sobre:MRVE3MRVIbovespaAçõesConstrutoras

Mais de Invest

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Conheça as vantagens do Cartão BTG Black e saiba como pedir o seu

Mais na Exame