• AALR3 R$ 19,62 -0.66
  • AAPL34 R$ 73,15 -0.56
  • ABCB4 R$ 16,87 2.37
  • ABEV3 R$ 14,77 0.54
  • AERI3 R$ 4,06 -7.31
  • AESB3 R$ 10,89 1.49
  • AGRO3 R$ 31,79 0.57
  • ALPA4 R$ 21,60 -0.41
  • ALSO3 R$ 20,19 1.61
  • ALUP11 R$ 26,62 1.64
  • AMAR3 R$ 2,43 2.10
  • AMBP3 R$ 30,84 4.08
  • AMER3 R$ 23,75 0.38
  • AMZO34 R$ 70,83 -0.98
  • ANIM3 R$ 5,80 4.50
  • ARZZ3 R$ 83,29 0.63
  • ASAI3 R$ 15,72 2.28
  • AZUL4 R$ 22,27 4.75
  • B3SA3 R$ 11,83 1.55
  • BBAS3 R$ 36,09 1.89
  • AALR3 R$ 19,62 -0.66
  • AAPL34 R$ 73,15 -0.56
  • ABCB4 R$ 16,87 2.37
  • ABEV3 R$ 14,77 0.54
  • AERI3 R$ 4,06 -7.31
  • AESB3 R$ 10,89 1.49
  • AGRO3 R$ 31,79 0.57
  • ALPA4 R$ 21,60 -0.41
  • ALSO3 R$ 20,19 1.61
  • ALUP11 R$ 26,62 1.64
  • AMAR3 R$ 2,43 2.10
  • AMBP3 R$ 30,84 4.08
  • AMER3 R$ 23,75 0.38
  • AMZO34 R$ 70,83 -0.98
  • ANIM3 R$ 5,80 4.50
  • ARZZ3 R$ 83,29 0.63
  • ASAI3 R$ 15,72 2.28
  • AZUL4 R$ 22,27 4.75
  • B3SA3 R$ 11,83 1.55
  • BBAS3 R$ 36,09 1.89
Abra sua conta no BTG

Vendas de imóveis avançam 20% e lançamentos voltam a crescer

De acordo com dados da Abrainc, outubro foi o melhor mês de vendas desde 2014 e os lançamentos voltaram ao nível pré-pandemia. Recuperação é puxada pela baixa renda
Recuperação do setor imobiliário ainda é puxada pelo segmento de menor renda (Reuters/Leonardo Benassatto)
Recuperação do setor imobiliário ainda é puxada pelo segmento de menor renda (Reuters/Leonardo Benassatto)
Por Bianca AlvarengaPublicado em 22/12/2020 13:05 | Última atualização em 22/12/2020 15:45Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A pandemia do coronavírus afetou a economia brasileira como um todo, mas o setor de construção civil parece ter resistido melhor aos efeitos da crise. Dados divulgados pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) mostram que as vendas de imóveis avançaram 20,5% nos 12 meses encerrados em outubro. Os lançamentos, antes paralisados, também voltaram a crescer e já estão no nível pré-crise.

"Temos visto um consumidor resiliente na hora buscar oportunidades para adquirir a casa própria, principalmente a população de baixa renda em busca do primeiro imóvel. Isso tem puxado o desempenho do setor de incorporação, que tem investido em lançamentos de novos empreendimentos", afirma o presidente da Abrainc, Luiz Antonio França.

Em outubro, houve um salto de 67,9% nas vendas de unidades, na comparação com o mesmo mês de 2019. Foi a maior variação percentual desde 2014. Os lançamentos de novos empreendimentos tiveram um salto de 85,5% no mesmo período.

É hora de mudar de casa? Alugar ou comprar? A EXAME Academy ajuda você

Casa Verde e Amarela e Minha Casa Minha Vida

O desempenho positivo tem sido puxado pelo segmento de baixa renda. De cada 10 imóveis lançados nos últimos 12 meses, 8 eram pertencentes ao Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), rebatizado de Programa Casa Verde e Amarela pelo governo de Jair Bolsonaro. O segmento de habitação popular teve crescimento de 86,5% nas vendas em outubro de 2020. O número de lançamentos mais do que dobrou no mesmo mês, também em relação a outubro de 2019.

Já os imóveis de médio e alto padrão acumulam queda nas vendas desde o início da pandemia. As vendas de unidades de médio padrão cresceram 3,1% e as de alto padrão avançaram 10% no período de agosto a outubro de 2020. Isso, no entanto, não foi suficiente para reverter a queda de 5,6% nas vendas registrada nos 12 meses encerrados em outubro.

Aprenda a investir em fundos imobiliários com o novo curso da EXAME

Com as vendas paradas, as construtoras e incorporadoras colocaram o pé no freio e adiaram os lançamentos de novos empreendimentos. A queda nos lançamentos chegou a 31,4% nos 12 meses encerrados em outubro, de acordo com a Abrainc.