• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Preço dos imóveis residenciais no país já subiu 1,02% em 2022

Apesar do aumento, o preço dos imóveis segue abaixo da inflação, com valor médio de R$ 7.941 por metro quadrado.
Entre as 16 capitais acompanhadas, a única cidade a não registrar aumento mensal no preço de venda residencial foi Porto Alegre (Exame/Leandro Fonseca)
Entre as 16 capitais acompanhadas, a única cidade a não registrar aumento mensal no preço de venda residencial foi Porto Alegre (Exame/Leandro Fonseca)
Por Karla MamonaPublicado em 03/03/2022 08:02 | Última atualização em 03/03/2022 07:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O preço dos imóveis residenciais à venda no país encerrou fevereiro em alta de 0,49%, segundo dados do Índice FipeZap, que monitora o valor médio de imóveis anunciados para venda em 16 capitais e 50 das maiores cidades do país. Trata-se da segunda alta consecutiva em 2022. Em janeiro, o índice avançou 0,53%. No acumulado do ano, a alta acumula é de 1,02%.

Apesar do aumento, o preço dos imóveis segue abaixo da inflação, tanto na comparação mensal como na comparação anual. Em fevereiro, o IGP-M/FGV apurou uma alta de 1,83%, enquanto a expectativa do mercado para a variação do IPCA/IBGE para o mesmo período, segundo informações do Relatório Focus do Banco Central do Brasil, projeta um avanço de 0,85% nos preços ao consumidor. Já no acumulado de 2022, a inflação ao consumidor é de 1,39% (considerando o comportamento observado e esperado do IPCA/IBGE) e à variação do IGP-M/FGV (+3,68%).

Entre as 16 capitais acompanhadas, a única cidade a não registrar aumento mensal no preço de venda residencial foi Porto Alegre (-0,01%), contrapondo-se, assim, às variações apuradas em: Vitória (+2,36%), Goiânia (+2,25%), Campo Grande (+1,50%), Fortaleza (+1,18%), Maceió (+1,15%), João Pessoa (+1,09%), Florianópolis (+1,07%), Salvador (+0,89%) Brasília (+0,50%), São Paulo (+0,38%), Recife (+0,33%), Belo Horizonte (+0,30%), Curitiba (+0,22%), Rio de Janeiro (+0,19%) e Manaus (+0,09%).

Preço médio de imóveis

O levantamento apontou ainda o preço médio de venda de imóveis residenciais no país foi de R$ 7.941 por metro quadrado. Entre as 16 capitais acompanhadas pelo índice, São Paulo apresentou o preço médio mais elevado no último mês (R$ 9.787/m²), seguida pelo Rio de Janeiro (R$ 9.682/m²), Vitória (R$ 8.843/m²), Florianópolis (R$ 8.794/m²) e Brasília (R$ 8.723/m²).

Por outro lado, entre as capitais monitoradas com menor preço médio de venda residencial, mencionam-se: Campo Grande (R$ 4.749/m²), João Pessoa (R$ 5.015/m²), Goiânia (R$ 5.333/m²) e Salvador (R$ 5.404/m²). Veja tabela abaixo: