Índice de blue-chips da China tem maior queda em quase 7 meses

Os investidores estão preocupados com as altas valorizações das ações e o risco de aperto da política monetária

O índice de blue-chips da China registrou a maior queda diária em quase sete meses nesta segunda-feira, depois de tocar máximas recordes na semana passada, com os investidores preocupados com as altas valorizações das ações e o risco de aperto da política monetária.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

A China deixou inalterada sua taxa de empréstimo para empresas e famílias pelo 10º mês seguido no sábado, mas tem aumentado a especulação de que as autoridades podem começar a adotar uma postura de política monetária mais apertada.

"As condições monetárias se apertaram na prática desde o início do ano. Esperamos que o banco central formalize a mudança com altas na taxa de juros nos próximos meses", disseram analistas da Capital Economics.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou em queda de 3,14%, maior perda percentual desde 24 de julho de 2020. O índice de Xangai caiu 1,45%.

O setor de consumo básico recuou 5,96%, o de saúde perdeu 5,15% e o financeiro caiu 1,75%.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,46%, a 30.156 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,06%, a 30.319 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,45%, a 3.642 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 3,14%, a 5.597 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,90%, a 3.079 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,42%, a 16.410 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,02%, a 2.881 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,19%, a 6.780 pontos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.