Ibovespa deve atingir 130 mil pontos em 2021, segundo estrategistas

Pesquisa realizada pela Bloomberg ouviu 12 profissionais sobre o destino do principal índice da bolsa brasileira neste ano

(Bloomberg) O rali que superou a maioria das previsões e deixou a bolsa brasileira no azul em 2020 pode ter mais espaço para ganhos este ano. Com o Ibovespa perto de ultrapassar sua máxima histórica nesta segunda-feira, 4, estrategistas preveem que o índice pode terminar 2021 em 130.000 pontos, ou cerca de 9% acima dos níveis atuais, segundo estimativa mediana de uma pesquisa da Bloomberg com 12 profissionais. As projeções variam de 118.000 a 135.000 pontos.

Quer saber como investir melhor em 2021? Conte com a assessoria do BTG Pactual Digital.

Muito do otimismo se apoia em uma perspectiva mais favorável para a recuperação econômica global. O cenário se apoia em três fatores principais: a expectativa de campanhas de vacinação contra o coronavírus, os preços de commodities em alta e os investidores cada vez mais ávidos por investimentos de maior rendimento em um mundo de juros baixos.

O cenário mais positivo para ativos de risco tem impulsionado entradas de investimento estrangeiro em ações de países em desenvolvimento: a bolsa brasileira atraiu cerca de 50 bilhões de reais desde novembro.

Fernando Ferreira, estrategista-chefe da XP, disse que os mercados emergentes voltaram ao centro das atenções, sendo que algumas ações cíclicas e com desconto agora atraem maior interesse de estrangeiros. Segundo ele, embora o mercado tenha se recuperado bastante rápido e alguns riscos permaneçam no horizonte, a visão ainda é “construtiva”.

O desempenho do Ibovespa ficou abaixo de todos os outros índices acionários de referência rastreados pela Bloomberg em mais de uma vez ao longo de 2020 e ainda acumulou baixa de 20% na versão dolarizada. O país foi particularmente atingido pela pandemia: os casos de Covid-19 ultrapassam 7,5 milhões e o PIB deve encolher 4,6%, o que leva empresas brasileiras a suspenderem estimativas e preservarem caixa.

Para 2021, o Bank of America espera que a recuperação dos resultados corporativos no Brasil seja liderada por ações de matérias-primas, finanças e energia. Em relatório do início de dezembro, o estrategista David Beker disse que a forte recuperação dos lucros por ação e altos níveis de caixa criam oportunidade para um novo ciclo de investimentos.

As ações brasileiras estão sendo negociadas a 13,1 vezes o lucro projetado, acima da média de cinco anos de 12,5 vezes, segundo dados compilados pela Bloomberg. Segundo o Santander, o mercado local deveria ser negociado acima dos múltiplos históricos em função dos juros mais baixos, que permitem uma redução no custo de capital e têm levado os brasileiros a apostarem em ações.

A realocação dos ativos domésticos para a renda variável “é uma realidade que deve continuar nos próximos trimestres”, segundo o estrategista do Santander, Daniel Gewehr. O banco reiterou o Brasil como principal posição overweight na América Latina, segundo relatório recente.

Riscos

Os riscos para o quinto ganho anual consecutivo do mercado incluem os conhecidos problemas fiscais do país, potencial crescimento abaixo do esperado - com o término da ajuda emergencial do governo a trabalhadores informais - e a inflação, que pode levar o Banco Central a aumentar a Selic antes do esperado.

Em relatório de 1º de dezembro, estrategistas do BTG Pactual liderados por Carlos Sequeira destacaram que, com o cenário favorável nos mercados globais, apenas uma gestão desastrosa da delicada situação fiscal do país poderia “estragar a festa”.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.