Saiba como começar a investir e ter resultados financeiros positivos

Muitas pessoas têm medo de investir por não saberem qual o melhor caminho a seguir
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 13/08/2022 às 18:00.

Muitas pessoas têm medo de investir por não saberem qual o melhor caminho a seguir. Mas, uma vez que entende os princípios básicos, fica bem mais fácil tomar decisões inteligentes e alcançar seus objetivos financeiros. 

Nesse sentido, comece aprendendo qual seu perfil de investidor, como analisar e gerenciar os riscos da sua carteira.

Se você não sabe por onde começar, acompanhe esse artigo que iremos apresentar de forma simples e prática tudo o que precisa saber para ingressar no mercado financeiro. Acompanhe!

Como começar a investir? Entendendo qual o seu perfil de investidor

Quem investe no mercado financeiro é classificado em um desses três perfis: conservador, que prefere segurar seu dinheiro e apostar em investimentos de baixo risco; arrojado, que está disposto a correr maiores riscos para obter maior retorno e moderado, uma combinação dos dois primeiros.

É válido lembrar que esses perfis podem variar bastante dependendo da idade, dos objetivos e da tolerância ao risco de cada um. 

Mas, seja qual for o perfil, todos os investidores buscam basicamente três coisas: segurança, rentabilidade e liquidez

Segurança significa que os investimentos devem ser feitos em instituições confiáveis e com boa reputação no mercado. A rentabilidade, por sua vez, é a possibilidade de ganhar mais dinheiro com o investimento do que simplesmente guardando na poupança. 

Já a liquidez se refere à facilidade para resgatar o capital a qualquer momento sem grandes prejuízos.

Alocação de ativos e diversificação: saiba como balancear seus investimentos

Hoje em dia, o mercado financeiro é muito amplo, logo, as opções de investimento são muitas. 

Nesse contexto, para investir com sucesso, é preciso compreender o funcionamento do mercado e analisar as melhores opções de acordo com seus objetivos. 

Além disso, é importante diversificar os investimentos para reduzir o risco. A alocação de ativos é um dos principais critérios para definir a carteira de investimentos. 

É importante balancear os ativos para que a carteira seja mais resistente a eventuais oscilações do mercado. A diversificação também é fundamental para reduzir o risco. Diversificar significa escolher diferentes tipos de ativos, com características distintas, para compor a carteira.

Uma boa diversificação diminui a volatilidade da carteira e aumenta a chance de obter resultados positivos nos investimentos. 

No entanto, é importante lembrar que nenhum tipo de investimento está isento de riscos e que não há garantias de resultados positivos. 

Portanto, antes de começar a investir, é importante consultar um especialista para compreender melhor o funcionamento do mercado financeiro e analisar as melhores opções para você.

Gerenciamento de riscos nos investimentos

O gerenciamento de riscos é uma das principais preocupações dos investidores. A fim de maximizar os retornos e minimizar as perdas, é importante entender os diversos tipos de riscos que podem afetar seus investimentos.

Os riscos podem ser divididos em dois grandes grupos: os riscos inerentes ao mercado e os riscos específicos a um determinado investimento. Os primeiros são incontroláveis pelo investidor e estão presentes em todos os mercados financeiros; já os segundos podem ser minimizados através da análise e do gerenciamento adequados.

Dentre os principais riscos inerentes ao mercado, estão o risco de crédito, o risco cambial e o risco de liquidez. O primeiro decorre da possibilidade de inadimplência dos emissores dos títulos; o segundo, da variação das taxas de câmbio; e o terceiro, da dificuldade em encontrar compradores para as ações quando se deseja vender. 

Além disso, existe também o chamado "risco sistêmico", que é a possibilidade de uma crise financeira generalizada que afeta todos os participantes do mercado.

Já os riscos específicos a um determinado investimento podem ser divididos em três grandes grupos: o risco operacional, o risco legal e o risco político. O primeiro decorre da possibilidade de falhas na gestão da empresa; o segundo, das mudanças nas leis que podem afetar negativamente as operações da companhia; e o terceiro, das incertezas políticas que podem interferir no andamento dos negócios.

Para minimizar os diversos tipos de riscos presentes nos mercados financeiros, é importante diversificar seus investimentos em várias classes de ativos.

Erros comuns cometidos por investidores iniciantes

Existem diversos erros que podem ser cometidos por iniciantes em investimentos. É importante estar atento a eles para não acabar perdendo dinheiro. Um dos principais erros está relacionado a investir sem ter um objetivo claro. 

Muitas pessoas não sabem porque estão investindo, ou seja, não têm um objetivo definido. Isso pode levar a escolhas erradas de investimentos e à perda de dinheiro.

Outro erro muito comum é não pesquisar o mercado para saber em qual setor investir. É importante tomar tempo para aprender sobre os diferentes tipos de investimentos e suas características antes de aplicar o seu dinheiro.

Vale destacar ainda que a falta de diversificação é outro erro bem comum. Muita gente pensa que basta investir em uma boa ação para ganhar dinheiro, mas isso é um erro. Na verdade, diversificar é essencial para diminuir o risco de perder todo o dinheiro caso uma das ações desabe no mercado.

Por fim, mas não menos importante, tenha paciência: muita gente quer ganhar dinheiro rapidamente com os seus investimentos e acaba vendendo as suas ações quando elas estão em baixa, o que leva à perda de dinheiro. 

É importante ter paciência e esperar pelo momento certo para vender as suas ações, quando elas estiverem valorizadas novamente no mercado.

O poder do juros compostos: invista para multiplicar seus resultados a longo prazo

Os juros compostos são um poderoso instrumento financeiro que podem ajudar você a multiplicar seus resultados a longo prazo.

Eles funcionam da seguinte maneira: quando você investe seu dinheiro, ele rende juros. Esses juros são calculados sobre o valor total do seu investimento, incluindo os juros que você já acumulou. 

Assim, a cada período (geralmente um ano), o valor de seus juros é acrescido ao valor total do seu investimento, e os novos juros são calculados sobre esse valor total. Com o tempo, esse processo se acumula e o valor de seus juros compostos cresce exponencialmente.

Existem diversas maneiras de colocar os juros compostos para trabalhar para você. A mais comum é investir em produtos financeiros como fundos de renda fixa e títulos do governo, que oferecem uma taxa de juros fixa. 

Mas, seja qual for sua escolha na hora de investir, lembre-se sempre que os juros compostos podem ser um poderoso aliado na multiplicação de seus resultados financeiros a longo prazo.

Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é IOF?
O que é IPCA acumulado?
Tesouro Selic ou IPCA?