Invest

Como a marcação a mercado afeta a rentabilidade da Renda Fixa

Entenda a relação entre juros e preço dos títulos e como ela pode impactar a rentabilidade do seu investimento

Entenda a relação entre juros e preço dos títulos e como ela pode impactar a rentabilidade do seu investimento (./Thinkstock)

Entenda a relação entre juros e preço dos títulos e como ela pode impactar a rentabilidade do seu investimento (./Thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de dezembro de 2020 às 19h35.

Última atualização em 11 de julho de 2022 às 15h03.

A rentabilidade de investimentos da renda fixa, como títulos do Tesouro Direto e ativos de crédito privado, pode sofrer flutuações entre a data de compra e a data de vencimento. Isso acontece por causa das condições e das expectativas do comportamento da taxa de juros. Essa dinâmica se chama marcação a mercado

Como a marcação a mercado afeta a rentabilidade?

A marcação a mercado é a atualização diária do preço de um ativo de renda fixa ou da cota de um fundo de investimento pelo seu preço de mercado naquele dia. 

Essa variação, que também leva o nome de Mark to Market (ou MtM) serve para o investidor saber quanto receberia se resgatasse o título ou vendesse a cota naquele dia.

A rentabilidade negativa que pode ser apresentada em alguns investimentos da renda fixa não significa que o investidor “perdeu dinheiro” necessariamente. Porque se o investidor carregar o título até seu vencimento, ele receberá a rentabilidade contratada, independente das oscilações que aconteceram no caminho. 

O que mais pode afetar a rentabilidade da renda fixa?

Outro fator que pode impactar a rentabilidade da renda fixa é uma alta na inflação e a queda da taxa básica de juros, a Selic. Além da clássica lei da oferta e da demanda. Embora não apresente a mesma volatilidade da renda variável, os ativos de renda fixa também são precificados de acordo com demanda. 

Além disso, existem alguns riscos que podem impactar ativos da renda fixa. O principal deles é o risco de crédito, quando o devedor não consegue cumprir com suas obrigações e pagamentos. 

Investimentos emitidos por bancos e financeiras, como CDBs, LCIs e LCAs, no entanto, contam com a proteção do FGC, que garante uma indenização aos investidores dentro de um limite de até R$ 250 mil por CPF. 

Já investimentos do crédito privado, como CRIs e CRAs, não possuem garantia do FGC. Por isso, é preciso conhecer e confiar no emissor dos papeis antes de investir.

Acompanhe tudo sobre:FinançasInvestimentos-pessoaisrenda-fixaRentabilidade

Mais de Invest

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 15 milhões neste sábado; veja como apostar

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Mais na Exame