Invest

É seguro investir no exterior? Saiba as regras

Proteção do patrimônio contra riscos macroeconômicos dos países e exposição a moedas fortes fazem do investimento lá fora uma opção de diversificação de portfólio

Investir nos Estados Unidos:  uma das vantagens é a enorme variedade de aplicações disponíveis, entre ações, fundos de investimentos e operações cambiais. (d3sign/Getty Images)

Investir nos Estados Unidos: uma das vantagens é a enorme variedade de aplicações disponíveis, entre ações, fundos de investimentos e operações cambiais. (d3sign/Getty Images)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 7 de junho de 2024 às 14h00.

Diversificar as carteiras além das fronteiras nacionais. Esse é um dos principais motivos pelos quais os investidores têm optado cada vez mais por explorarem os ativos estrangeiros. Mas, automaticamente, a pergunta feita é: é seguro investir no exterior? Quem nos responde é a head de conteúdo e Investimentos no Exterior da Nomad, Paula Zogbi.

“Em termos de volatilidade, o mercado global tem diferentes perfis de investimentos, com maior e menor nível de risco”, diz. É preciso lembrar que o investimento no exterior traz maior exposição a eventos macroeconômicos dos países, como recessões, crises financeiras e mudanças nas taxas de juros em várias partes do mundo. Mas, justamente por isso que a diversificação geográfica proporciona um portfólio mais equilibrado.

Um dos países de maior procura, por exemplo, são os Estados Unidos. Uma vantagem de se investir no  país é a proteção de patrimônio contra o Risco Brasil, ou seja, a instabilidade da economia brasileira que afeta diretamente os rendimentos.

Além disso, quem investe nos Estados Unidos terá uma parte do seu patrimônio em dólar, a moeda mais forte do mundo. Assim há uma blindagem das desvalorizações do real, podendo ter rendimentos com as oscilações cambiais.

Outro motivo pelo qual vale a pena investir nos EUA é a enorme variedade de aplicações disponíveis, entre ações, fundos de investimentos e operações cambiais.

Na Nomad, por exemplo, é possível começar a investir com apenas U$1 com a compra de frações de ações, também conhecidas como "fractional shares". Também é possível investir em renda fixa, fundos imobiliários e fundos de investimentos com valores acessíveis, com muita segurança. Paula explica que no que diz respeito à regulação, é seguro investir em ativos globais, desde que o investidor se atente e busque empresas reguladas e protegidas pelos órgãos de mercado.

A Nomad está em conformidade com todas as legislações vigentes e atua com parceiros devidamente regulados. “Ao abrir uma conta de investimentos utilizando o aplicativo da Nomad, você passa a ter uma conta na nossa corretora parceira DriveWealth, que é registrada junto ao regulador local SEC (U.S. Securities and Exchange Commission, similar à Comissão de Valores Mobiliários - CVM brasileira) e membro  da FINRA (Autoridade regulatória da Indústria Financeira Americana) e SIPC, (Securities Investor Protection Corporation), entidade que visa proteger investidores americanos em até US$ 500 mil, sendo US$ 250 mil em solicitações de pagamento em dinheiro”.

Acompanhe tudo sobre:Investir Nomadbranded-content

Mais de Invest

Ibovespa está ‘barato demais para ignorar’, diz analista; onde investir?

Quanto rendem R$ 25 milhões na poupança?

O que é herança legítima e como é feita a divisão?

CPI mais fraco nos EUA impulsiona aposta por três cortes de juros ainda neste ano

Mais na Exame