• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 60,46 +0,00%
  • Ouro 1.750,70 +0,00%
  • Prata 25,55 +0,00%
  • Platina 1.209,30 +0,00%

Chefe da ONU nomeia Michael Bloomberg enviado do clima para mobilizar ações

Ex-prefeito de Nova York passa a conduzir ações de incentivo a países contra as mudanças climáticas

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reconduziu o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg como seu enviado especial para a ambição e soluções climáticas na sexta-feira, "para mobilizar ações climáticas mais fortes e ambiciosas" antes de uma cúpula global em novembro.

Bloomberg foi anteriormente enviado especial da ONU para a ação climática entre março de 2018 e novembro de 2019. Ele deixou o cargo pouco antes de anunciar sua candidatura à indicação democrata dos EUA à Presidência. Ele desistiu da corrida em março de 2020.

O magnata da mídia apoiará Guterres no "crescimento e fortalecimento" de uma coalizão de governos, empresas, cidades e negócios comprometidos com saldo zero de emissões até 2050 em linha com as metas do acordo global do clima de 2015 firmado em Paris, disse a Organização das Nações Unidas.

Em 2015, quase 200 países se comprometeram a interromper o aumento das temperaturas com rapidez suficiente para evitar mudanças climáticas desastrosas. Em novembro, a ONU realizará uma cúpula de acompanhamento crucial sobre o clima em Glasgow, na Escócia.

Até lá, espera-se que os países se comprometam a fazer cortes mais profundos nas emissões para cumprir a meta do acordo de Paris.

A renomeação de Bloomberg visa "mobilizar uma ação climática mais forte e ambiciosa" na preparação para a cúpula de Glasgow, disse a ONU em um comunicado.

O novo presidente norte-americano, Joe Biden, decidiu trazer os Estados Unidos, o segundo maior emissor de gases de efeito estufa do mundo, de volta ao acordo de Paris.

Os EUA deixaram formalmente o acordo no ano passado, mas seu papel como peso-pesado nas negociações climáticas globais já havia sido interrompido com a eleição do presidente republicano Donald Trump em 2016.

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.