• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.748,70 +0,00%
  • Prata 26,19 +0,00%
  • Platina 1.212,50 +0,00%

Commodities podem blindar moedas de emergentes, diz Goldman

Moedas de mercados emergentes dependentes de commodities ainda têm espaço para alcançar a exuberância dos preços do petróleo e do cobre

Embora o salto dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA tenha pressionado as taxas de câmbio de mercados emergentes, o rali dos preços das commodities neste ano pode oferecer alguma proteção, segundo o Goldman Sachs.

Moedas de mercados emergentes dependentes de commodities ainda têm espaço para alcançar a exuberância dos preços do petróleo e do cobre, disse o estrategista do Goldman em Londres, Ian Tomb, em relatório na sexta-feira. Esses momentos de volatilidade no mercado de juros podem ser uma oportunidade para investidores assumirem posições compradas em apostas pró-cíclicas de alta qualidade, como o rand sul-africano, o peso mexicano e o rublo russo.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

“A valorização dos preços das commodities pode ser ampla o suficiente para implicar que, apesar do aumento dos rendimentos básicos, as moedas emergentes sensíveis às commodities mostram desempenho inferior em 2021”, escreveu Tomb em nota. “Grandes aumentos dos preços das commodities nos últimos meses podem ajudar a amortecer o golpe de maiores rendimentos.”

Os ralis do cobre e do petróleo são vistos como sinais para economias exportadoras do mundo em desenvolvimento. O metal é negociado um pouco abaixo da cotação mais alta em uma década, e o petróleo bruto atingiu níveis vistos pela última vez antes de o coronavírus ser declarado uma pandemia. O índice Bloomberg Commodity atingiu o patamar mais alto desde 2018 esta semana.

Ainda assim, as moedas de mercados emergentes estão perto de fechar a pior semana em cinco meses, liderada por perdas da lira turca, do real e do rand sul-africano. Isso faz com que gestores pesem os riscos do aumento dos rendimentos dos Treasuries contra as perspectivas de uma forte recuperação puxada por estímulos, o que eleva a demanda por commodities.

Para o Goldman Sachs, algumas das oportunidades mais interessantes estão em moedas de mercados emergentes sensíveis ao cobre, como o rand sul-africano e o peso chileno. Ao mesmo tempo, o rublo russo e o peso colombiano são as que mais se beneficiam com a alta do preço do petróleo, mesmo com a queda da sensibilidade geral das moedas dos mercados emergentes a essa commodity nos últimos anos, disse a empresa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.