Cerco da China a Jack Ma leva grandes investidores a sair do Alibaba

Investidores ultra-ricos estão se desfazendo de suas posições da gigante chinesa de tecnologia em meio ao avanço da regulação do governo de Pequim

Investidores abastados correram para vender ações do Alibaba depois que o governo da China iniciou uma investigação sobre supostas práticas monopolistas da gigante da internet fundada e comandada pelo bilionário Jack Ma, segundo a unidade de private bank do Citigroup.

Saiba como investir nas empresas mais promissoras do mercado com a assessoria do BTG Pactual digital

“Um grande número” de clientes ultrarricos do banco na região da Europa, Oriente Médio e África reduziu ou saiu de suas posições na maior empresa de comércio eletrônico da China em dezembro, depois da divulgação de informações sobre a investigação, disse o Lab for Family Offices do Citi Private Bank, em relatório divulgado na terça-feira, 19.

O mercado acionário da China vinha atraindo investimentos significativos de clientes mais ricos do banco na segunda metade do ano, de acordo com o relatório.

Antes vistas como empresas que impulsionavam a prosperidade econômica e símbolos da capacidade tecnológica do país, o Alibaba e rivais como a Tencent enfrentam pressão crescente de reguladores depois de acumular centenas de milhões de usuários e ganhar influência sobre quase todos os aspectos da vida diária na China.

A oferta pública inicial (IPO) de 35 bilhões de dólares da empresa de pagamentos afiliada do Alibaba -- a Ant Financial Group -- foi abruptamente suspensa no fim de outubro do ano passado, o que contribuiu para a queda de mais de 20% dos recibos de depósito americano (os ADRs) do grupo desde então.

Na semana passada, o banco central da China disse que a Ant trabalha em um cronograma para reestruturar seus negócios e, ao mesmo tempo, garantir que as operações continuem, enfatizando a determinação de controlar as empresas de Ma e oferecendo poucas pistas sobre até onde o grupo precisa ir para acalmar o governo de Pequim.

A Ant responde por mais de 25% do patrimônio de 52,9 bilhões de dólares de Jack Ma, de acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg.

As ações do Alibaba chegaram a subir 11% na sessão em Hong Kong na quarta-feira, depois que Ma apareceu pela primeira vez desde o início de novembro, quando ficou calado em meio às investigações do governo sobre a Ant e o Alibaba.

Ele falou com professores em uma live durante um evento anual que o empresário organiza para educadores rurais, disseram pessoas a par do assunto.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.