• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6830 +0,0022
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.845,20 +0,00%
  • Prata 25,55 +0,00%
  • Platina 1.207,10 +0,00%

Casas Bahia em Wall Street: a fintech do crediário que vale US$ 31 bi

Startup Klarna deve receber rodada de US$ 1 bilhão, levando ao valuation citado; empresa sueca é especializada em viabilizar compras com pagamento parcelado, algo raro nos EUA

O que o rapper Snoop Dogg e o empreendedor chinês Jack Ma têm em comum? Além de muitos milhões de dólares na conta bancária, é claro (no caso de Ma, são bilhões)? Ambos são investidores da nova fintech sensação no mundo financeiro e em Wall Street: é a startup sueca Klarna.

A fintech considerada revolucionária está para fechar uma rodada de capitalização de 1 bilhão de dólares, de acordo com diferentes sites especializados, como a CNBC. É uma rodada que, se confirmada, levará o valuation para a casa de 31 bilhões de dólares (cerca de 170 bilhões de reais). A rodada fará da Klarna a fintech mais valiosa da Europa. Valerá mais do que o Santander Brasil (SANB11), com seus 150 bilhões de reais.

E o que a Klarna faz de tão disruptivo? Ela permite que consumidores façam compras e possam pagar de forma parcelada ao longo do tempo, em prestações "sem juros". Parece familiar? Sim, o mundo desenvolvido acaba de descobrir o famoso crediário, tão consagrado pela família Klein à frente da Casas Bahia há algumas décadas.

A Klarna não é a primeira a fazer isso: em janeiro, outra startup, a Affirm, realizou um dos IPOs mais badalados de 2021 na Nasdaq, sendo avaliada na estreia em 12 bilhões de dólares. As ações dispararam e dobraram de valor no primeiro dia de negociação. A alta chegou a quase 200% duas semanas atrás, antes de ceder para os atuais 85% de alta.

A Affirm foi fundada em 2013 pelo empreendedor serial Max Levchin, um dos cofundadores do PayPal. Tem acordos com mais de 6.500 varejistas nos Estados Unidos, entre eles o Walmart e a Peloton, para viabilizar a venda de produtos com pagamento parcelado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.