Bolha ameaçada? Ações da Tesla despencam 25% em um mês

Perspectivas de retomada da economia americana e forte queda do bitcoin fazem papéis da montadora de carros elétricos caírem mais de 200 dólares no período

Um dos símbolos da prosperidade e da exuberância dos mercados pós-pandemia, a Tesla liderou os ganhos entre todas as ações nos Estados Unidos em 2020, com valorização acima de 700%. Neste ano, a trajetória de alta teve prosseguimento em janeiro, com a ação subindo 25% e tornando Elon Musk, o fundador e CEO da companhia, o homem mais rico do mundo.

Mas os ventos mudaram desde o fim de janeiro. Nesta terça-feira, 23, as ações da maior montadora do mundo de carros elétricos chegaram a recuar 13% no início do pregão, zerando os ganhos da empresa neste ano. Neste momento (início da tarde em Nova York, às 13h locais), a queda era superior a 5%, levando os papeis a 677 dólares.

Ou seja, desde a cotação recorde de 883,09 dólares alcançada em 26 de janeiro, as cotações recuaram cerca de 25%. Na semana passada, Musk já havia perdido o status de maior bilionário do mundo para Jeff Bezos, da Amazon.

Segundo analistas, a queda tem razões de mercado e ligadas à própria Tesla. No primeiro caso, as perspectivas de crescimento da economia americana com o novo pacote de estímulo do presidente Joe Biden e o avanço das campanhas de vacinação levam investidores a buscar ganhos maiores em ações que podem se beneficiar da retomada da atividade, como as de varejo e as das companhias aéreas.

No segundo caso, a "culpa" vem do próprio Musk, uma vez que a Tesla anunciou há duas semanas que comprou 1,5 bilhão de dólares em bitcoins. Como a criptomoeda caiu fortemente nos últimos dias, a companhia ficou exposta a essas variações.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.