Aéreas sobem até 4% mas se afastam das máximas; Petrobras PN vira e cai

Com piora do mercado, ações PN da petroleira viraram para queda nos minutos finais, marcando sua 1ª baixa depois de três pregões seguidos de alta

Depois de subir por três pregões seguidos, as ações dos bancos caíram nesta quarta-feira, 18, em dia de realização de lucros. Por conta da forte participação desses papéis na composição da carteira teórica do Ibovespa, Bradesco (BBDC4) e Itaú (ITUB4), que recuaram 2,44% e 3,07%, respectivamente, figuraram como as maiores pressões, em pontos, para o recuo do índice hoje. O Ibovespa quebrou uma sequência de três pregões de alta e fechou em baixa de 1,05%, em 106.119 pontos. Santander (SANB11) desvalorizou 0,67%, enquanto Banco do Brasil (BBAS3), que chegou a cair mais de 1% na mínima do dia, se descolou do setor e subiu 0,23%.

A piora das bolsas americanas nesta tarde também contribuiu para intensificar o movimento negativo do índice brasileiro, em meio ao anúncio de que Nova York vai fechar escolas a partir de amanhã para conter o avanço das infecções. Por outro lado, notícias nesta manhã sobre progressos em vacinas contra coronavírus ajudaram a conter a queda. No Ibovespa, aéreas e empresas de educação ainda aproveitaram esperanças de uma vacina para emplacarem novos ganhos.

Ibovespa acima dos 100 mil pontos: saiba o que se pode esperar da bolsa e das principais ações com a EXAME Research.

Aéreas

Mirando as notícias sobre avanços de vacinas, as aéreas voltaram a subir. Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) apareceram entre as maiores altas do Ibovespa, com ganhos de 4,41% e 3,10%, nesta ordem, mas afastadas das máximas do dia, quando chegaram a saltar mais de 8%. A empresa de turismo CVC Brasil (CVCB3), por sua vez, virou para queda e fechou em baixa de 1,00%. Mesmo movimento ocorreu com a fabricante de aeronaves Embraer (EMBR3), que recuou 0,62%.

Educação

Também de olho nos progressos de vacinas, que dão esperanças na direção do retorno das aulas, as ações do setor de educação subiram forte hoje, liderando os ganhos do Ibovespa. Cogna (COGN3) e Yduqs (YDUQ3) avançaram 5,34% e 5,32%, mas também distantes das máximas do dia, quando subiram mais de 8%. Fora do índice, Ânima avançou 1,65% e Ser Educacional (SEER3), 0,64%.

Petrobras

Com a piora do mercado, as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) viraram para queda nos minutos finais desta sessão e fecharam com baixa de 0,59%, quebrando uma sequência de três pregões no positivo e descoladas dos preços do petróleo, que subiram no exterior. Ontem, as ações PN da estatal bateram seu maior patamar de fechamento desde o começo março. Os papéis ordinários (PETR3) da petroleira, por sua vez, conseguiram se sustentar no campo positivo, encerrando o pregão com leve alta de 0,12%.

Os contratos do petróleo Brent, negociados em Londres e usados como referência pela companhia, subiram 1,03%, em meio às expectativas de que os membros da Opep e seus aliados adiem um aumento na produção da commodity para compensar uma alta acima do que o esperado nos estoques de petróleo dos Estados Unidos. No mesmo setor, PetroRio subiu 0,37%.

Conheça a EXAME Invest, o novo canal de investimentos da EXAME

Na terça, o American Petroleum Institute (API) reportou que os estoques da commodity nos EUA subiram em 4,2 milhões de barris na última semana, acima das expectativas de 1,7 milhão de barris, segundo pesquisa da Reuters. O contrato do petróleo Brent, negociado em Londres e usado como referência pela petroleira, subia 1,46%.

Vale 

Depois de subir por três pregões seguidos e renovar ontem máxima histórica de fechamento na Bolsa, as ações da Vale (VALE3) caíram 0,78% nesta sessão, apesar da alta do minério de ferro. A companhia e autoridades de Minas Gerais não entraram em acordo sobre a reparação de danos após o rompimento da barragem em Brumadinho em audiência no Tribunal de Justiça de Minas Gerais realizada ontem. A mineradora ofereceu um valor de 21 bilhões de reais por danos sofridos pela economia, enquanto o estado pede 26,7 bilhões de reais, além de 28 bilhões de reais por danos morais. Um novo encontro foi agendado para o dia 9 de dezembro.

Nesta quarta, o minério de ferro cotado em Qingdao fechou em alta de 0,72%, indo para 126,34 dólares a tonelada. Os papéis da Bradespar (BRAP4), holding que detém participação na Vale, também operam no negativo, com queda de 0,34%, depois de terem atingido, em conjunto, ontem seu recorde histórico de fechamento na Bolsa.

Linx

As ações da Linx (LINX3) subiram 1,06% após os acionistas da companhia terem aprovado ontem, em assembleia geral extraordinária, a venda para a Stone, em uma transação de 6,7 bilhões de reais, colocando um ponto final em uma novela que durou cerca de três meses. A oferta foi aprovada por 97 milhões de votos, equivalentes a 55% do capital da Linx, excluindo as ações em tesouraria. Eram necessários 87,5 milhões de votos para o negócio ser validado.

Segundo analistas da Exame Research, o desfecho da assembleia já era esperado pelo mercado, especialmente depois que a Stone elevou sua oferta. A nova proposta foi feita ontem, horas antes da reunião de acionistas, levando os papéis da Linx para alta de 3% na terça-feira. Ainda assim, eles comentam que a conclusão tende a trazer implicações positivas para ambas as empresas, uma vez que afasta as incertezas relacionadas à transação e encerra a disputa entre Stone e Totvs (TOTS3). “A operação ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mas, por enquanto, a turbulência envolvendo os papéis tende a diminuir”.

Na sessão, a Totvs, que estava na briga pela Linx, viu suas ações subirem 1,07%. Cotadas na bolsa americana Nasdaq, os papéis da Stone subiram 1,69%.

Banco Inter

O Banco Inter (BIDI11) firmou acordo para comprar a empresa de meios de pagamento Granito, hoje ligado ao banco BMG. O acordo prevê o pagamento de 90 milhões de reais por 45% do capital social da empresa pelo Inter. Os outros 45% continuará com o BMG e executivos da Granito, com 10% da empresa. Para os analistas da Exame Research, a movimentação deve ser bem-recebida pelo mercado, uma vez que, com a compra, o banco amplia a oferta de serviços de seu ecossistema, fortalecendo seu marketplace. Na sessão, as units do banco subiram 1,15%, descoladas do movimento negativo do setor financeiro na Bolsa hoje. O Índice Financeiro registrou queda de 1,33%.

Burger King

As ações do Burger King (BKBR3) recuarm 1,72%. No radar, a companhia precificou oferta primária de ações com esforços restritos em 10,80 reais por papel na terça-feira, levantando 510,3 milhões de reais. Segundo analistas da Exame Research, a operação é positiva para a empresa, que conseguiu emplacar a oferta com um desconto mínimo em relação à cotação atual (a ação fechou ontem a 11,04 reais) e teve demanda suficiente para lançar lote adicional. “Os recursos servirão para reforçar o caixa da empresa e viabilizar a continuidade da expansão, o que mostra um comprometimento com a estratégia de longo prazo”, comentam.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.