10 lições sobre investimentos ensinadas pelo livro Pai Rico, Pai Pobre

Com mais de 30 milhões de cópias vendidas, best seller de finanças pessoais continua atual. Conheça 10 de suas principais lições para alcançar sua liberdade financeira

O livro Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kiyosaki, foi lançado em 1997, mas continua fazendo sucesso entre quem busca educação financeira e está começando a conhecer o mundo dos investimentos. É atualmente o livro mais vendido de finanças na Amazon e ganhou, em 2017, uma edição ampliada e revisada em comemoração aos 20 anos do seu lançamento, que inclui nove estudos. Também tem uma edição específica para jovens e outra na forma de quadrinhos.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como no Manual do Investidor

O escritor, que é fundador, ao lado de sua esposa, da empresa de educação financeira The Rich Dad Company e criador do jogo Cashflow, já escreveu 19 livros e conta no clássico os ensinamentos que recebeu de seu pai, um empresário de sucesso que tinha apenas o segundo grau completo. Esses conselhos, segundo o autor, foram o principal impulso para acumular a sua riqueza.

Além de contestar pensamentos frequentes, como "busque um emprego seguro", "estude bastante" e "sua casa é o seu maior patrimônio", Kiyosaki explica como a inteligência financeira é um grande passo no caminho para construir um patrimônio sólido.

Veja abaixo 10 lições que sintetizam os conselhos financeiros descritos por Kiyosaki:

1) A riqueza começa pela mentalidade

Kiyosaki relata que teve dois pais: um rico e outro pobre, e o que diferenciava ambos no início da carreira, quando ainda não havia problemas financeiros para um e riqueza para o outro, era a mentalidade. Enquanto seu pai que se tornaria rico acreditava que a falta de dinheiro é a raiz de todo mal, o outro acreditava que o amor ao dinheiro era a raiz de todo mal.

Seu pai pobre também dizia constantemente que nunca ficaria rico, mesmo tendo bastante instrução, e que não ligava para dinheiro, enquanto seu pai rico sempre dizia que dinheiro é poder. Portanto, o pensamento construtivo, que pode passar por substituir frases como "Não posso comprar isso" por "Como posso comprar isso?", é o primeiro caminho rumo à riqueza.

2) Faça o dinheiro trabalhar por você, e não ao contrário

O pai rico de Kiyosaki explicou para ele, ainda jovem, um fenômeno que chamou de "corrida de ratos". É algo que, segundo ele, acontece frequentemente entre a classe média: todas as pessoas são movidas por dois sentimentos: medo e ambição. Com medo de ficarem sem dinheiro, trabalham incessantemente. Mas quando passam a ganhar mais dinheiro, são picadas pela ambição e aumentam também seu custo de vida.

Como aproveitar a retomada para ganhar com imóveis? A EXAME Academy fará de você um especialista no setor. Assine

Isso significa que o ciclo nunca termina. É necessário se livrar de ambos os sentimentos de forma a concretizar sonhos. A solução para isso passa, naturalmente, por investir.

3) Não compre passivos pensando que são ativos

O pai rico do autor chamou a sua atenção para um pensamento frequente: muita gente confunde passivo com ativo. Há quem acredite que a compra de um carro, por exemplo, é um investimento. Mas qual aplicação financeira, logo no início, tem perda de 25% e continua a diminuir seu valor ao longo do tempo, questiona o autor.

Portanto, para o autor, são ativos tudo o que tenha valor, gere renda ou se valorize e tenha um mercado líquido. Entre os exemplos estão:

  • Negócios que não exigem sua presença (caso contrário, é profissão)
  • Ações
  • Títulos
  • Fundos
  • Imóveis que geram renda
  • Royalties

4) Luxo? Só com a renda dos investimentos

Quem tem aumento de salário e amplia suas despesas proporcionalmente, ao invés de investir o valor, está em um beco sem saída. Afinal, se o emprego for perdido, como poderá manter um alto estilo de vida?

O segredo, diz Kiyosaki, não é o quanto se ganha, mas o quanto se conserva. Quanto mais uma pessoa aplicar seu dinheiro e criar o hábito de reinvestir, mais rapidamente seu patrimônio irá crescer, pois há o efeito dos juros compostos.

E é com essa renda gerada por um portfólio consistente de ativos que ricos adquirem bens de luxo. Eles não usam o dinheiro suado do trabalho para isso, muito menos quando têm dívidas no banco. Porque é, simplesmente, uma atitude insustentável.

5) Busque vantagens tributárias

O pai de Kiyosaki explicou a ele que o maior tirano não era o seu patrão ou supervisor, mas o homem dos impostos. "Se você deixar, o homem dos impostos sempre tirará mais de você."

Face a isso, é necessário proteger o patrimônio não com evasão fiscal ou algo ilegal, mas sim por meio de estruturas com vantagens tributárias, como uma sociedade anônima, ou fundos fiduciários. Neles é possível pagar despesas antes de impostos e ter um beneficio fiscal. O mecanismo também protege contra eventuais processos judiciais.

6) Assuma riscos

Não há milagre quando se trata de investimentos. Quem quiser obter maiores rendimentos terá necessariamente de assumir riscos. Isso também vale para o empreendedorismo. O pai do autor costumava dizer que o gênio financeiro existe tanto pelo conhecimento técnico quanto pela ousadia. Com medo, dizia ele, o gênio se extingue.

A ousadia, aponta o livro, é necessária porque, atualmente, a informação é valiosa e corre muito rápido. Não basta ter conhecimento, mas ter a ideia na hora certa. Assim como alguém pode ter muito dinheiro a partir de um conhecimento, outro pode ficar para trás simplesmente porque essa pessoa pensou antes.

Trazendo para o mundo dos investimentos, isso é o que faz com que uma pessoa fique na poupança ou realize prejuízo em um momento de crise, enquanto outra investe ainda mais para aproveitar a oportunidade e comprar ativos que estão baratos.

7) Não se prenda à educação formal e técnica

Kiyosaki aprendeu com seu pai rico a saber "de tudo um pouco", além de não pensar apenas no dinheiro, mas principalmente em aprender. Um emprego pode pagar bem, ser seguro e uma boa escolha hoje, mas e no longo prazo?

Isso também vale para a aposentadoria: alguém pode conseguir pagar as contas hoje, mas o que terá no futuro? É preciso abrir a mente e aprender habilidades como liderança, marketing e, por que não, vender, se comunicar melhor e, principalmente, negociar. Seu pai pobre, conta, trabalhava cada vez mais quanto mais competente se tornava. E quanto mais se especializava, menos tinha escolhas. Ou seja, ficou encurralado financeiramente.

8) Tenha um pouco de ambição e deixe a preguiça de lado

O autor chama a atenção para um hábito comum a milhares de pessoas: estar sempre ocupada para pensar no futuro ou para pensar sobre a vida financeira. Muitas optam por esse caminho fácil e preguiçoso, que consiste em dizer: nunca vou poder ter isso. E passam a vida dizendo sim aos filhos e consumindo, sem pensar em como poderão ajudá-los a pagar a faculdade ou como vão se aposentar.

A solução é ter um pouco de ambição e enfrentar a dura realidade. É melhor sacrificar um pouco o hoje de forma a ter um futuro mais confortável. Afinal, quanto mais tempo se tem para investir, maior será a rentabilidade.

9) Evite a arrogância

É necessário evitar a arrogância, diz o autor. Para ele, esse sentimento nada mais é do que uma forma de esconder a ignorância. Seu pai rico disse que todas as vezes que tentou fazer algo sem conhecer aquilo de fato perdeu dinheiro.

Isso vale para quem desconsidera o seu perfil de investidor ou o risco embutido em uma aplicação por causa da confiança excessiva em retornos altos, ou, pior, uma recomendação de um amigo, sem buscar saber mais sobre o assunto. Se esse for o seu caso, ouça um especialista, leia livros e não coloque seu futuro a perder.

10) Invista em você

O maior ativo de uma pessoa, diz Kiyosaki, é a sua própria mente. Qualquer investimento em educação, cursos e instrução não será em vão.

Não basta comprar investimentos: é necessário aprender a investir de fato, escapando de ciladas e maus hábitos com o objetivo de construir um futuro melhor.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.