Inteligência Artificial

O que faz a Hugging Face e porque ela recebeu US$ 235 milhões em um único aporte

Google, Amazon, Nvidia e Salesforce são alguns dos nomes da extensa lista de investidores da empresa de IA avaliada em US$ 4,5 bilhões

O CEO da Hugging Face, Clément Delangue: startup com avaliação de US$ 4 bilhões (Reprodução/Divulgação)

O CEO da Hugging Face, Clément Delangue: startup com avaliação de US$ 4 bilhões (Reprodução/Divulgação)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 25 de agosto de 2023 às 12h05.

Última atualização em 1 de fevereiro de 2024 às 21h55.

A Hugging Face, que funciona como uma gestora de códigos para softwares abertos, amplamente reconhecido por seu compromisso com a IA livre, fechou uma rodada de investimentos que não passou despercebida pelo setor tecnológico.

A organização levantou US$ 235 milhões em sua rodada de financiamento de Série D, conforme revelado pela CNBC. Com esse novo aporte, a avaliação da empresa saltou para impressionantes US$ 4,5 bilhões.

O que torna essa rodada de financiamento ainda mais notável é a lista de investidores. Empresas líderes do setor, como Google, Amazon, Nvidia e Salesforce, estão entre os que depositaram confiança - e capital - na Hugging Face.

Além delas, AMD, Intel e IBM também participaram, todas com interesses nos modelos generativos de IA disponíveis no diretório da startup.

Startup favorita da AWS

Clement Delangue, CEO da Hugging Face, disse que os recursos serão utilizados para expandir a equipe, que já conta com 170 profissionais, bem como para investir ainda mais em IA de código aberto e na construção de plataformas.

Delangue também enfatizou o papel fundamental da comunidade de código aberto no desenvolvimento da IA generativa, afirmando: "As empresas querem construir IA sozinhas e precisam de IA de código aberto para isso."

A Hugging Face não é apenas uma plataforma de repositório. Ela também é responsável por hospedar modelos de IA populares, como o Stable Diffusion da Stability AI e o Llama 2 da Meta, juntamente com suas variantes.

Em uma demonstração clara de seu peso no setor, a Hugging Face firmou uma parceria com a AWS da Amazon, tornando-se o fornecedor de softwares de IA preferido da AWS.

Contudo, enquanto a IA generativa ganha destaque, é fundamental entender a diferença entre "código aberto" e "licença de uso limitado".

Muitas empresas líderes optam por disponibilizar seus modelos com um grau de abertura, permitindo a experimentação por parte dos desenvolvedores, mas ainda estabelecendo limitações por meio de licenças específicas.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialAmazonGoogleOpenAISalesforce

Mais de Inteligência Artificial

Cerca de 80% das empresas no Brasil investiram ou vão investir em IA nos próximos 12 meses

OpenAI define cinco níveis para alcançar a inteligência artificial humana

Pesquisa mostra resistência ao uso de IA no atendimento ao cliente

AMD anuncia aquisição do maior laboratório privado de IA da Europa por R$ 3,5 bilhões

Mais na Exame