Inteligência Artificial

Governo dos EUA fecha acordo com gigantes da tecnologia para garantir segurança no uso de IA

O anúncio vem após reunião do governo dos EUA com sete empresas líderes em IA: Amazon, Anthropic, Alphabet (Google), Inflection, Meta, Microsoft e OpenAI

Casa Branca: Evento reuniu as empresas Amazon, Anthropic, Alphabet (Google), Inflection, Meta, Microsoft e OpenAI (Jaap Arriens/Getty Images)

Casa Branca: Evento reuniu as empresas Amazon, Anthropic, Alphabet (Google), Inflection, Meta, Microsoft e OpenAI (Jaap Arriens/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 21 de julho de 2023 às 11h38.

Última atualização em 21 de julho de 2023 às 12h09.

A Casa Branca afirmou nesta sexta-feira, 21, que chegou a um acordo com grandes empresas de tecnologia para criar novas medidas de controle e fiscalização ao uso da inteligência artificial (IA). O anúncio vem após reunião do governo dos EUA com sete empresas líderes em IA: Amazon, Anthropic, Alphabet (Google), Inflection, Meta, Microsoft e OpenAI.

Acordo

De acordo com nota da Casa Branca, as empresas concordaram em respeitar mecanismos para garantir que os produtos sejam seguros antes de apresentá-los ao público, além de criar ferramentas para identificar conteúdos produzidos por IA, como marcas d'água e também desenvolver e investir em segurança cibernética para proteger dados dos cidadãos.

O texto afirma que as sete empresas também se comprometeram em facilitar a realização de auditorias externas em seus sistemas para aperfeiçoar os produtos e encontrar vulnerabilidades.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Inteligência artificialTecnologia da informaçãoRegulamentação

Mais de Inteligência Artificial

Zuckerberg lança Llama 3.1 de graça; inteligência artificial é tida como uma das mais poderosas

General Motors reinicia operações de táxis autônomos da Cruise em três cidades dos EUA

Cohere, rival canadense da OpenAI, levanta US$ 500 milhões e atinge valorização de US$ 5,5 bilhões

Nvidia desenvolve chip antiembargo para China e em conformidade com controles de exportação dos EUA

Mais na Exame