• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Cornershop, da Uber, comemora 1 ano no Brasil e anuncia plano de expansão

Com os serviços de delivery ganhando ainda mais tração, o app de compras em supermercado controlado pela Uber passa a atender 70 cidades brasileiras
Cristina Alvarenga, a nova Head da Cornershop by Uber no Brasil (Reprodução/Foto)
Cristina Alvarenga, a nova Head da Cornershop by Uber no Brasil (Reprodução/Foto)
Por André LopesPublicado em 30/04/2021 15:42 | Última atualização em 09/06/2021 10:26Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Fundada em 2015 pelo sueco Oskar Hjertonsson, a startup chilena de compras de supermercado, Cornershop, chegou ao Brasil em fevereiro de 2020, e no momento onde completa um ano de operação no país, divulgou com exclusividade à Exame um intenso plano de expansão geográfica e de novas parcerias com varejistas.

Fortalicida com a expertise da Uber – a americana comprou 51% de seu capital em outubro passado –, o novo anúncio tem relação com os bons resultados de 2020: o setor de delivery foi essencial na manutenção do isolamento social e, por consequência, conseguiu expandir em usuários e ganhou tração geográfica.

Entram na área de atendimento da Cornershop, até o mês de agosto, 17 novas localidades, são elas: Aracaju (SE); Belém (PA); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); João Pessoa (PB); Jundiaí (SP); Macaé (RJ); Maceió (AL); Natal (RN); Novo Hamburgo (RS); Piracicaba (SP); Presidente Prudente (SP); Ribeirão Preto (SP); São José do Rio Preto (SP); São José dos Campos (SP); Sorocaba (SP); Taubaté (SP). No total, 70 municípios serão alcançados pelos serviços do aplicativo.

A chegada à novas cidades não foi exatamente um problema. Embora mantenha operações e aplicativos separados em relação ao Uber, a Cornershop compartilha das informações de inteligência do gigante, o que acaba dando uma boa noção sobre como funciona a cabeça dos consumidores.

"Todas as cidades serão atendidas por produtos oferecidos por mais de 700 varejistas, de grandes redes de supermercado a pequenas lojas especializadas. Muitos destes que estão entrando agora no aplicativo, permitindo que usuários recebam exatamente o que querem a preços competitivos", disse Cristina Alvarenga, a nova Head da Cornershop by Uber no Brasil.

Um bom exemplo de parceiros que desembarcam no app é o Grupo Pão de Açúcar, antes exclusivo do app James. Agora, ao todo, mais de 250 lojas das redes Extra e Pão de Açúcar em todo o Brasil podem ser acessadas pela plataforma Cornershop e também pelos apps da Uber e do Uber Eats, na funcionalidade “Mercado”.

E para manter o mesmo ritmo depois que muito dos usuários se sentirem mais confortáveis em voltar às compras fisicamente, a Cornershop garante que pode consolidar a base de novos clientes servindo um atendimento especializado como diferencial. Nessa área, a aposta é nos “shoppers” – os profissionais que realizam as compras e as entregas das mercadorias.

Diferente dos concorrentes como o Rappi e iFood, a Cornershop gerencia um modelo em que o comprador e entregador são uma figura só e que é dedicada à personalização dos pedidos, gerando um atendimento de maior contato com os usuários.

"A gente não acredita que só o contexto de pandemia é suficiente pra crescer. É preciso entender a relação do consumidor com o supermercado. Por isso miramos em tornar confortável pro consumidor delegar o ato de compra pra alguém. Catálogo, facilidade, processo de seleção, e o shopper que vai tirar dúvidas e acertar o pedido. Toda essa linha vai ajudar a Conershop a se adaptar e se aprimorar dentro desse mercado que ainda é tão recente", afirma Cristina.

Mercado aquecido 

O setor de entregas não é mais o mesmo de poucos anos atrás, onde era dominado por startups pioneiras. Agora, jovens empresas, estrangeiras ou não, compete contra gigantes varejistas que dominam o e-commerce há anos. Lista-se aí: Magazine Luiza que comprou o app Aiqfome, especializado em fazer entregas de restaurantes em cidades no interior do Brasil; B2W que tem parceria com a Supermercado Now, de entregas de compras. Stone com um investimento na gaúcha Delivery Much. Além da expansão dos já experientes iFood e Rappi.

  • Quer saber tudo sobre o desenvolvimento e eficácia de vacinas contra a covid-19? Assine a EXAME e fique por dentro.

Veja Também

Amazon Prime: assinatura fica mais cara nesta sexta-feira
Tecnologia
Há uma semana • 1 min de leitura

Amazon Prime: assinatura fica mais cara nesta sexta-feira

Apps de cripto lideram em engajamento na América Latina
Future of Money
Há 2 semanas • 2 min de leitura

Apps de cripto lideram em engajamento na América Latina

Sweatcoin: conheça o app que paga para você andar
Pop
Há 2 semanas • 2 min de leitura

Sweatcoin: conheça o app que paga para você andar