• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

O duplo desafio de um jovem empreendedor

Franqueado da Maple Bear venceu a resistência à sua idade e ao novo negócio que levou à Mogi das Cruzes, em São Paulo
 (Estúdio ABC/Divulgação)
(Estúdio ABC/Divulgação)
Por Abril Branded ContentPublicado em 11/06/2018 15:54 | Última atualização em 11/06/2018 15:54Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Há dez anos, quando a sétima franquia da escola canadense Maple Bear desembarcou em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo, o ensino bilíngue ainda era novidade. Não bastasse esse desafio, Richard Debre, que havia investido no negócio junto a um sócio e com a ajuda dos pais, tinha outro: ele tinha apenas 21 anos de idade. Precisava enfrentar a resistência de quem desconfiava do método e de sua capacidade de gerir uma escola e um negócio.

“Foram dois processos: o de apresentação da escola e o de convencimento. Foi um grande desafio. Eu estudei muito, visitei outras escolas no Brasil e no Canadá, apropriei-me de todo o conteúdo que pude absorver. Atendia aos pais diariamente, independentemente do horário, para fazer com que eles acreditassem no nosso trabalho”, conta Debre, agora com 31 anos.

O empresário também visitou escolas, conversou com alunos e profissionais e buscou referências para criar em sua unidade o ambiente que achava ideal. “Busquei aliados, pessoas no mercado para fazer parte da minha equipe que, além de capacitadas, acreditassem na mesma coisa. De professores e coordenadores até os profissionais da limpeza”, explica.

Deu certo. Quando abriu a escola, eram apenas cinco funcionários e sete alunos. No segundo ano, já eram 60 estudantes. Hoje, são 375 alunos dos ensinos infantil, fundamental I, fundamental II e médio — o último inaugurado neste ano —, e 70 funcionários que fazem o negócio ir para frente. No ano passado, foi realizada a formatura da primeira turma do 9º ano. Atualmente, já não há mais vagas para o ensino fundamental e algumas turmas têm fila de espera. E o empreendedor não quer parar por aí. “Tenho planos de expansão na área de educação, quero ter outras unidades.”

O segredo do sucesso, segundo Debre, foi unir três antigas paixões: crianças, educação e inglês. Ele já estudava pedagogia e dava aulas do idioma quando decidiu empreender. “Unir tudo isso foi o que despertou meu senso empreendedor. Acredito que ter um negócio que una o que você ama e a oportunidade de mercado é um dos grandes motivos para ter êxito”, diz. Mas para gerir um negócio, ressalta, conhecimento é essencial. “O empreendedor tem que conhecer de verdade aquilo que vai oferecer e o que as outras pessoas já oferecem. Você precisa entender de administração, ser um bom líder, conhecer o negócio, mas precisa também entender de verdade com o que você está trabalhando.”

O bom relacionamento com a rede franqueadora também foi importante. Ele participou de vários projetos-pilotos da Maple Bear e hoje realiza treinamentos para novos líderes e coordenadores da rede, além de ser parte da equipe do Conselho Pedagógico Nacional da Maple Bear no Brasil. A escola também recebe frequentemente treinamentos com profissionais canadenses. “O que é muito legal na franquia é a criação de uma comunidade colaborativa. Você constrói uma rede e se comunica com pessoas que pensam e acreditam no mesmo que você. No meu caso, eu queria dar uma cara nova para a educação”, conta.

 

Franquias participantes do especial

Veja Também

Dono da Starbucks no Brasil assume operação da Subway
Negócios
Há 5 dias • 3 min de leitura

Dono da Starbucks no Brasil assume operação da Subway