Oito empreendedoras de sucesso para inspirar o seu negócio

De acordo com dados apresentados pelo Sebrae em parceria com a Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2020 (GEM), o Brasil é o sétimo país com o maior número de mulheres empreendedoras no mundo
Cada vez mais, as mulheres estão ocupando o empreendedorismo feminino. Conheça algumas empreendedoras brasileiras de sucesso (Morsa Images/Getty Images)
Cada vez mais, as mulheres estão ocupando o empreendedorismo feminino. Conheça algumas empreendedoras brasileiras de sucesso (Morsa Images/Getty Images)
Por Fernanda BastosPublicado em 10/03/2022 16:01 | Última atualização em 25/03/2022 13:07Tempo de Leitura: 7 min de leitura

Há muito o que se falar quando o assunto é representatividade feminina. O estudo Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, divulgado pelo IBGE, afirma que mulheres ocupam 37,4% dos cargos de gerência em empresas — uma baixa se comparado com a edição de 2018, na qual as mulheres ocupavam 39,1% dos cargos. O dado só confirma quanto o setor de negócios tem para melhorar quando o assunto é existência e sustentabilidade em negócios femininos, justamente pela disparidade de gênero.

Mas o problema começa antes disso. O acesso das mulheres a cargos de relevância e a falta de apoio profissional configuram dois dos maiores fatores para que não haja igualdade, de fato. E quando o assunto é empreendedorismo, o caminho pode ser mais solitário. De acordo com dados apresentados pelo Sebrae em parceria com a Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2020 (GEM), o Brasil é o sétimo país com o maior número de mulheres empreendedoras no mundo — onde 48% são mulheres, totalizando 30 milhões de empreendedoras.

Tenha as melhores oportunidades para a conta do BTG Pactual Empresas. Clique aqui para saber mais!

Apesar das dificuldades, as mulheres têm conquistado espaço, principalmente nos últimos tempos. Nesse cenário, o papel de empresas e instituições é importante para ajudar a mudar a realidade e promover o protagonismo feminino. Com foco no empreendedorismo, o BTG Pactual Empresas é a ferramenta que visa ajudar quem está começando um novo negócio, e é um aliado para o sucesso de empresas fundadas por mulheres.

Foi com o objetivo de facilitar a gestão e ajudar empreendedores a terem maior visibilidade de suas finanças, que o BTG Pactual desenvolveu o BTG Pactual Empresas, uma plataforma totalmente especializada em soluções para pequenas e médias empresas com diversas vantagens. Dentre elas está a conta PJ 100% digital, sem taxa mensal de manutenção e com acesso simples e seguro, pela web ou aplicativo.

Com diversas soluções como conta Pix ilimitado 24h gratuito, antecipação online das maquininhas de cartão, atendimento multicanais, o BTG Empresas é a plataforma mais completa de gestão financeira que seu negócio precisa. Conheça o BTG Pactual Empresas.

Empreendedoras de sucesso

Pensando em utilizar a data simbólica do Dia das Mulheres para transformar a realidade das mulheres no Brasil, separamos uma lista com histórias sobre empreendedorismo feminino e a trajetória de grandes mulheres para se inspirar. Conheça abaixo algumas figuras marcantes:

Maitê Lourenço, da BlackRocks Startups

Maite Lourenço da BlackRocks Startups (Germano Lüders/Exame)

O que começou há dez anos para ajudar a fazer currículos, hoje é uma das startups mais importantes para acelerar o protagonismo e empreendedorismo negro, levando inovação e tecnologia. A BlackRocks Startups, encabeçada pela psicóloga Maitê Lourenço, foi finalista do Startups Awards em Impacto Social. A empreendedora já fez uma imersão no Vale do Silício por meio de um Intercâmbio profissional concedido pelo Consulado Americano, além de ter sido convidada para ser speaker no TEDx João Pessoa em 2018. Maitê também foi capa da EXAME em 2020.

Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano, presidente do conselho administrativo do Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano, presidente do conselho administrativo do Magazine Luiza (Lailson Santos/Divulgação)

Luiza nasceu no interior de São Paulo e sua força de vontade resultou em um dos maiores casos de sucesso no empreendedorismo. A empreendedora conseguiu criar na sua varejista uma forte cultura interna, apostando em uma boa comunicação com as funcionárias. Não é à toa que por 19 anos consecutivos o Magazine Luiza esteve entre as melhores companhias para se trabalhar de acordo com o Great Place to Work.

Rachel Maia, da RM Consulting

Rachel Maia, conselheira administrativa da Vale, Banco do Brasil, CVC & Grupo Soma (Germano Lüders/Exame)

A empreendedora, nascida e criada na periferia de São Paulo, é atualmente conselheira administrativa da Vale, Banco do Brasil, CVC & Grupo Soma. Rachel é CEO da RM Consulting, uma empresa especializada em consultoria, palestras e educação corporativa. O empreendimento também conta com o projeto Capacita-Me que tem como objetivo capacitar pessoas e dar a chance de voltarem ao mercado de trabalho após o término do curso. O projeto conta hoje com um curso de atualização para o mercado de trabalho, com base nos Pilares do Conhecimento: Aprender a fazer, conviver, conhecer e ser.

Adriana Barbosa, da PretaHub

Adriana Barbosa, da Feira Preta

Adriana Barbosa, da Casa PretaHub: espaço para inclusão e diversidade (Iguatemi/Divulgação)

Adriana Barbosa criou a plataforma PretaHub, para capacitar empreendedores negros. No segundo semestre de 2020, a empresária criou a Casa PretaHub — um espaço colaborativo no centro de São Paulo para a criação de conteúdo, com estúdios de produção audiovisual, biblioteca e salas de reunião gratuitas. Adriana é formada em gestão de eventos com especialização em gestão cultural pelo Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação da ECA/USP e é a CEO do Instituto Feira Preta.

Chieko Aoki, da Blue Tree Hotels

Ser um líder melhor todo dia

A CEO fundadora da rede de hotéis Blue Tree Hotel, Chieko Aoki (Blue Tree Hotels/Divulgação)

A japonesa naturalizada brasileira Chieko Aoki é CEO e fundadora da rede de hotéis Blue Tree Hotel, uma das maiores redes de hotelaria brasileira. Chieko atuou no grupo de hotéis Caesar Park Hotels e na Westin Hotels & Resorts, uma das instituições de hotelaria mais tradicionais dos EUA. A empresária é um exemplo de sucesso por ter um negócio próspero, mas também por ter usado suas experiências para enxergar um grande gap no mercado: os turistas que não abrem mão da experiência cultural desde o check-in no hotel.

Clique aqui e tenha acesso a uma plataforma totalmente integrada para fazer negócio, tudo isso através da conta digital PJ do BTG Empresas

Ana Bavon, da B4People Cultura Inclusiva

Ana Bavon, consultora de diversidade

Ana Bavon, consultora de diversidade (Amanda Rodrigues/Divulgação)

Ana usou sua transição de carreira em 2016 para criar a B4People Cultura Inclusiva, uma consultoria especializada em transformação cultural e diversidade humana. O objetivo é auxiliar organizações na implementação de ações por meio do ESG. É colunista em alguns jornais e foi convidada para palestrar no TEDx e no TEDX São Paulo. Também é professora de ESG na Profinfo – FIA USP e deu aula de gênero e masculinidades nas organizações no curso avançado de diversidade nas organizações da Escola Aberje, além de ser diretora de comunicação do Instituto Brasileiro de Direito e Ética Empresarial (IBDEE).

Maria Eduarda Camargo e Emily Ewell, da Pantys

Emily Ewell e Maria Eduarda Camargo; fundadoras das Pantys

Emily Ewell e Maria Eduarda Camargo; fundadoras da Pantys (Pantys/Divulgação)

A dupla começou a pensar em empreender juntas quando Duda estudava administração de empresas no Insper e Emily trabalhava para uma companhia que analisava o mercado de absorventes e lingeries no exterior. Ali, elas perceberam que poderiam criar um negócio de tecnologia em saúde feminina e absorventes. A Pantys, que começou em 2017, é uma das pioneiras no assunto e, nos primeiros dois anos, a empresa cresceu 350% — segundo o UOL. A expectativa é se tornar uma referência global.

Julia Petit, da Sallve

Julia Petit, CCO da Sallve (Divulgação/Divulgação)

Julia é co-founder e CCO da Sallve, uma empresa de cosméticos. A empreendedora, muito ligada a comunicação e tendências de beleza, enxergou na junção de suas paixões a possibilidade de modernizar o skincare. A Sallve contou com um faturamento quatro vezes maior em 2020 se comparado com 2019 e tem crescido tanto que, no fim de 2021, a empresa começou um planejamento prático para vender seu catálogo em lojas físicas e expandir o nível de abrangência da marca.

Com a conta digital do BTG Pactual Empresas, você não paga taxa de manutenção e pode utilizar uma plataforma 100% digital. Abra a sua conta já!