Future of Money

Worldcoin: projeto de Sam Altman avança na criação de blockchain próprio

Rede World Chain foi aberta para desenvolvedores enquanto usuários aguardam lançamento oficialmente do blockchain do projeto

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Chris Ratcliffe/Getty Images)

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Chris Ratcliffe/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 9 de julho de 2024 às 14h47.

O Worldcoin avançou nesta terça-feira, 9, no processo de lançamento de uma rede blockchain própria para seus usuários. A iniciativa é controlada pela empresa Tools for Humanity, que por sua vez tem como líderes Alex Blania e Sam Altman, atual CEO da OpenAI, a dona do ChatGPT.

Nesta semana, a Tools for Humanity anunciou que liberou o acesso de desenvolvedores à World Chain, que foi anunciada em abril deste ano como a nova rede do projeto. A ideia é que a rede dê mais eficiência e utilidade real aos projetos atualmente desenvolvidos pela empresa.

Os dados mais recentes divulgados pela Tools for Humanity apontam que o Worldcoin soma mais de 10 milhões de usuários e 75 milhões de transferências com a sua criptomoeda própria, a WLD, que também passará a ser hospedada na nova rede blockchain.

Com a abertura, os desenvolvedores poderão "construir, testar e enviar feedbacks" sobre a rede, de acordo com um comunicado enviado à imprensa. A rede será de segunda camada e está sendo criada por meio da tecnologia da rede Optimism, com ambas ligadas à Ethereum.

A expectativa atual da Tools for Humanity é de que a World Chain será lançada para o público até o fim do verão no Hemisfério Norte, ou seja, até o fim do inverno no Brasil. Ainda não há, porém, uma data exata para o lançamento do projeto ou de redes de teste públicas.

O que é o Worldcoin?

O Worldcoin foi lançado para o público em 2023 e tem como objetivo projeto criar uma identidade digital única global para facilitar a diferenciação entre humanos e robôs. A identidade é obtida após o usuário cadastrar sua íris a partir do escaneamento por um equipamento chamado Orb, recebendo criptomoedas em troca.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Por outro lado, o projeto tem enfrentado diversos problemas jurídicos nos diferentes países em que atua. É o caso de Portugal, que ordenou no fim de março a suspensão das operações do Worldcoin, incluindo o escaneamento pelos Orbs, no país, assim como Hong Kong.

O Worldcoin nega que tenha problemas no tratamento de dados e afirma que o registro de íris é imediatamente deletado e substituído pela World ID, uma espécie de identidade digital. Mesmo assim, o projeto tem enfrentado problemas e críticas por preocupações com a segurança dos dados dos usuários.

Acompanhe tudo sobre:Sam AltmanBlockchain

Mais de Future of Money

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Goldman Sachs vai lançar projetos de tokenização de ativos até o fim de 2024

Mais na Exame