Acompanhe:

Token de créditos de carbono ganha data para "estreia" no Mercado Bitcoin

Exchange começará a permitir compra, venda e armazenamento do MCO2, token pioneiro que equivale a créditos de carbono , para seus mais de 2 milhões de usuários

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Ignacio Palacios/Getty Images)

(Ignacio Palacios/Getty Images)

G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 28 de janeiro de 2021 às, 09h00.

Última atualização em 28 de janeiro de 2021 às, 09h04.

A exchange de criptoativos Mercado Bitcoin confirmou nesta quinta-feira, 28, a data de início das negociações dos tokens MCO2, que representam créditos de carbono, em sua plataforma: 4 de fevereiro.

A partir desta data, todos os mais de 2,2 milhões de clientes da exchange poderão comprar, vender e armazenar o token MCO2, que foi desenvolvido pela MOSS, uma plataforma ambiental pioneira em transformar créditos de carbono em ativos digitais.

Este processo, chamado de "tokenização", visa, neste caso específico, facilitar o acesso de pequenas empresas e pessoas físicas ao instrumento de preservação ambiental. Cada token MCO2 equivale à compensação de uma tonelada de carbono.

Para Luis Felipe Adaime, CEO e fundador da MOSS, a iniciativa democratiza o acesso aos créditos de carbono, criando alternativas para a conservação do meio ambiente e a redução dos efeitos da emissão de gases de efeito estufa. “Além de negociar produtos, estamos oferecendo um propósito, com facilidade, transparência, escala e segurança”, afirmou o executivo.

“Incluir um ativo em nosso portfólio que possibilita remunerar projetos de preservação do meio ambiente é um grande passo para o Mercado Bitcoin e está totalmente alinhado com a nossa estratégia de expansão internacional”, disse Reinaldo Rabelo, CEO da exchange.

Fundada no início de 2020, a MOSS já movimentou mais de 1 milhão de toneladas de CO2, arrecadando e enviando mais de 10 milhões de dólares em receitas para projetos de conservação da floresta amazônica.

Além de disponibilizar o MCO2 em sua plataforma, a parceria entre Mercado Bitcoin e MOSS inclui a compensação de toda a emissão de carbono de responsabilidade da exchange, desde a sua fundação, em 2013 — a startup brasileira é a primeira exchange cripto do mundo a fazer isso. Além disso, a empresa deverá oferecer aos seus usuários o primeiro "bitcoin verde" do mundo, que agrega os tokens MCO2 ao bitcoin, como forma de compensar a pegada de carbono gerada pelo maior ativo digital do mundo.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. O especialista usa como exemplo o jogo Monopoly para mostrar quem são as empresas que estão atentas a essa tecnologia, além de ensinar como comprar criptoativos. Confira.

Últimas Notícias

Ver mais
Bitcoin rumo à máxima: o que fazer agora?
Future of Money

Bitcoin rumo à máxima: o que fazer agora?

Há 5 horas

G20, energia e Mês das Mulheres: quais temas movimentam o ESG nesta semana
ESG

G20, energia e Mês das Mulheres: quais temas movimentam o ESG nesta semana

Há 8 horas

‘Acreditamos muito em moedas digitais’, diz CEO da Mastercard no Brasil
Future of Money

‘Acreditamos muito em moedas digitais’, diz CEO da Mastercard no Brasil

Há 21 horas

Bank of America e Wells Fargo vão oferecer ETFs de bitcoin para clientes
Future of Money

Bank of America e Wells Fargo vão oferecer ETFs de bitcoin para clientes

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais