Tiffany & Co anuncia pingentes personalizados de CryptoPunks e negociação dos NFTs dispara 814%

Empresa reforça posição pró-cripto e cria coleção de pingentes em ouro, diamantes e outras pedras preciosas que reproduzem NFTs exclusivos após brincadeira de vice-presidente nas redes sociais
Pingente conta com safiras e rubis nos óculos e um diamante amarelo na orelha (Tiffany&Co/Reprodução)
Pingente conta com safiras e rubis nos óculos e um diamante amarelo na orelha (Tiffany&Co/Reprodução)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 01/08/2022 às 14:19.

Última atualização em 01/08/2022 às 14:25.

O mercado de luxo e os tokens não fungíveis (NFTs) estão cada vez mais conectados. No domingo, 31, a Tiffany & Co anunciou a venda de NFTs de uma coleção famosa que dará o direito a um pingente exclusivo e personalizado da marca de jóias.

Trata-se dos CryptoPunks, NFTs da terceira coleção mais vendida de todos os tempos, de acordo com dados do CryptoSlam. Tudo começou com uma brincadeira de Alexandre Arnault, vice-presidente executivo de produtos e comunicações da Tiffany.

Entusiasta da coleção, o executivo transformou seu CryptoPunk #3167 em um pingente em ouro rosa, cravado de safiras, rubis e um diamante amarelo para reproduzir as cores dos óculos e do brinco do famoso personagem em pixels.

O resultado foi publicado em suas redes sociais em abril e não demorou para que outros donos de NFTs da coleção manifestassem interesse no pingente personalizado. “Estou pronto. Para onde envio meu ETH?” perguntavam contas do Twitter cuja foto de perfil eram CryptoPunks. ETH é a criptomoeda utilizada para negociar os tokens não fungíveis da rede Ethereum.

“Devemos personalizar pingentes da Tiffany & Co dos CryptoPunks disponíveis para os proprietários de encomendarem por uma semana?”, perguntou Arnault em sua conta oficial do Twitter. A resposta foi um sonoro sim: 80,3% dos mais de 20 mil seguidores do executivo apoiaram a iniciativa.

Assim como suas brincadeiras de primeiro de abril, que geraram 499 unidades da moeda TiffCoin em ouro 18k, a empresa novamente honrou o que disse e criou a TFTiff, coleção que atenderá os donos de CryptoPunks interessados em ter um pingente personalizado.

Serão 250 pingentes, cada um custando a partir de 30 ETH, o equivalente a quase US$ 50 mil, cuja comercialização terá início no próximo dia 5 de agosto. Cada interessado poderá encomendar no máximo três unidades, mediante comprovação da posse do NFT.

Os joalheiros da marca trabalharão nos pingentes utilizando ouro rosa ou amarelo de 18 quilates e cada um terá no mínimo 30 pedras preciosas. De acordo com a Tiffany, a entrega das versões finalizadas está prevista para o início de 2023.

Uma foto foi publicada por Arnault registrando o processo de produção, que inclui a pintura do pingente com o auxílio de uma seringa para preencher cada pixel.

(Tiffany&Co/Reprodução)

Um dia após o anúncio, a negociação de NFTs da coleção já cresceu 841%. De acordo com dados do CryptoSlam, os CryptoPunks são os NFTs mais negociados das últimas 24 horas, superando fenômenos em vendas como a Bored Ape Yacht Club e Mutant Ape Yacht Club. Segundo o CoinTelegraph, a Tiffany pode lucrar até US$ 12,7 milhões, caso todos os 250 pingentes sejam vendidos.

"Estamos levando os NFTs para o próximo nível. De forma exclusiva para os donos de NFTs CryptoPunks, a TFTiff transforma seu NFT em um pingente feito pelos artesãos da Tiffany & Co. Você também receberá uma versão em NFT do próprio pingente", publicou a conta oficial da Tiffany no Twitter.

O lançamento da Tiffany & Co não é exatamente uma parceria com os idealizadores dos CryptoPunks, e só foi possibilitada após a venda da franquia para a Yuga Labs, criadora da Bored Ape Yacht Club e suas coleções adjacentes de NFTs. Isso porque a Yuga Labs estipula que ao comprar um de seus NFTs, os direitos de propriedade intelectual, comercial e de licenciamento passa a ser de posse do dono do token, e não mais da empresa.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Veja Também

Quanto vale um NFT?
Revista Exame
Há 6 horas • 3 min de leitura

Quanto vale um NFT?