"Bitcoin tornou nossa moeda inútil", diz senador nigeriano sobre regulamentação

Nigéria se tornou grande centro para o bitcoin após crises política e econômica em 2020 e discute regulamentação após banco central proibir as criptomoedas no país
 (Derek Brumby/Getty Images)
(Derek Brumby/Getty Images)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 12/02/2021 14:06 | Última atualização em 12/02/2021 18:24Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Depois do Banco Central da Nigéria (BCN) proibir as instituições financeiras do país a fornecer quaisquer serviços relacionados ao bitcoin e outros criptoativos, a discussão sobre o tema chegou ao Senado, onde o governo tentará regulamentar definitivamente a questão. Um dos senadores chegou a dizer que o bitcoin tornou a moeda nacional "quase inútil ou sem valor".

Diferentemente do que aconteceu no BCN, que adotou uma posição contrária ao bitcoin e aos criptoativos, o Senado nigeriano parece dividido sobre o tema. “As criptomoedas se tornaram um meio de transferências global, no qual você não consegue identificar quem possui o quê. A tecnologia está tão forte que eu não vejo como nós podemos regulamentá-la. O bitcoin tornou a nossa moeda quase inútil ou sem valor", disse o senador Sani Musa.

“O que nós podemos fazer é assegurar que as pessoas erradas não as utilizem. Esse tema é muito importante para nós. Chegou o momento de harmonizar todas as questões que envolvem as criptomoedas”, disse o senador Biodun Olujimi.

Após as discussões, ficou decidido que a Comissão para Assuntos Financeiros e Crimes Cibernéticos convidará o presidente do BCN para uma reunião, na qual deverão ser discutidos os riscos e as oportunidades que o mercado de criptoativos oferece ao país.

A comissão de valores mobiliários nigerianas também se pronunciou sobre o tema nesta sexta-feira, 12, afirmando que deixará seus planos sobre regulamentação de criptoativos paralisados temporariamente após a decisão do BCN. A autarquia tinha adotado posição mais aberta ao mercado cripto anteriormente. Em setembro de 2020, chegou a reconhecer os ativos digitais como títulos de investimento e chegou a anunciar a criação de um sandbox regulatório como parte dos esforços para regulamentar o mercado.

A Nigéria se tornou um grande centro para o bitcoin, especialmente a partir de 2020, quando o país entrou em profunda crise política e econômica e o governo passou a perseguir opositores, inclusive com uso de suas forças especiais de segurança. O bitcoin se tornou uma alternativa para contornar a desvalorização da Naira, a moeda local, e também para escapar das restrições impostas pelo governo.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.