Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

Possível bolha no mercado de ações pode levar investidores para bitcoin e criptomoedas, diz analista

Dylan Leclair considerou as ações estão supervalorizadas em relação à média dos últimos 140 anos e os lucros estão perdendo para a inflação, o que pode empurrar os investidores para o bitcoin
Possível bolha pode levar investidores para o bitcoin (JamesBrey/Getty Images)
Possível bolha pode levar investidores para o bitcoin (JamesBrey/Getty Images)
C
Cointelegraph BrasilPublicado em 13/08/2022 às 12:44.

O bitcoin pode se transformar em uma espécie de porto seguro para investidores afugentados pelo estouro da bolha catastrófica formada pelo mercado de ações nos últimos anos. Esta é a avaliação do chefe de mercado na Bitcoin Magazine, Dylan Leclair, em artigo publicado na última sexta-feira, 12.

A afirmação do cofundador da 21st Paradigm foi feita a partir da análise do gráfico dos últimos 140 anos do índice Shiller, que mede a razão entre o preço pago por uma ação e o lucro médio obtido (PE), ajustado pela inflação dos últimos 10 anos, métrica que também é conhecida por PE ciclicamente ajustado (CAPE).

(Mynt/Divulgação)

Pelo monitoramento, é possível identificar que os preços no mercado de ações estão supervalorizados em relação à linha mediana, de 16,60, dos últimos 140 anos. O que o analista considerou para sugerir que o mercado de ações está prestes a estourar, uma vez que, segundo ele, “os preços relativos ao lucro sempre encontram uma maneira de reverte.” Isso porque o lucro obtido depende de ganhos futuros, o que está relacionado ao preço pago pelos ativos.

De acordo com o gráfico, o mercado de ações está próximo de dois outros patamares históricos, um deles o crash de 1929, quando a bolsa de Nova York quebrou e chegou a perder 89% de seu valor, dando início à “Grande Depressão”, e outro de 1999, que está compreendido dentro do intervalo entre 1994 e 2000, conhecido como “Bolha da Internet”, caracterizado por forte alta das ações das empresas de tecnologia e de comunicação.

(TradingView/Reprodução)

Outro ponto chave elencado por Leclair é a alta da inflação nos Estados Unidos, estimada recentemente em 9,1% e a consequente alta na taxa de juros anunciada em julho pelo Federal Reserve (Fed), o banco Central do país da América do Norte, para tentar conter a inflação, elementos que fizeram os rendimentos subir e reduziram os múltiplos das ações.

Ele ainda levantou a hipótese de estagflação, que, como o próprio nome diz, representa a inflação em alta sem que a atividade econômica esteja aquecida, o que seria uma consequência inevitável da política monetária do Fed, uma vez que a dívida pública dos EUA continua batendo recordes.

As projeções do analista culminam em queda do mercado de ações, em termos nominais e em termos reais, sangrando o poder de compra dos investidores. O que, segundo ele, vai levar os investidores para outro ativo a fim de escaparem dos rendimentos reais negativos do mercado de renda fixa quando dos rendimentos irrisórios ou negativos do mercado de ações. Ativo que, na opinião dele é o Bitcoin, cuja capitalização gira em torno de US$ 459 bilhões e teria muito espaço para receber parte dos US$ 41,5 trilhões do mercado de ações dos EUA.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok