Otimista com a Coinbase, Citi recomenda compra de ações da 'loja cripto'

O banco de investimento multinacional acredita que as ações da Coinbase valem 30% mais do que seu preço atual e oferecem “exposição direta ao aumento do varejo e à adoção institucional de criptomoedas”
Potencial da Coinbase se deve aos seus esforços contínuos para expandir suas operações (Emmanuel Dunand/AFP)
Potencial da Coinbase se deve aos seus esforços contínuos para expandir suas operações (Emmanuel Dunand/AFP)
C
Cointelegraph Brasil

Publicado em 27/10/2021 às 15:26.

Última atualização em 27/10/2021 às 16:30.

A multinacional de serviços financeiros Citi começou a cobrir as ações da exchange de criptomoedas dos Estados Unidos Coinbase (COIN) nesta semana com uma meta de preço bastante otimista.

O analista do Citi, Peter Christiansen, disse aos investidores que eles poderiam "comprar o grande armazém das criptomoedas" em um memorando publicado na terça-feira. O Citi deu a COIN um preço-alvo de alta de 415 dólares, que é substancialmente mais alto do que o preço de fechamento de segunda-feira de 319 dólares.

O analista afirmou que as ações oferecem aos investidores “exposição direta ao aumento do varejo e à adoção institucional de criptomoedas”.

O gigante bancário multinacional vê o potencial da Coinbase à medida que a empresa faz esforços contínuos para expandir suas operações para além de ser apenas uma exchange de criptomoedas em outras áreas, como tokens não fungíveis (NFTs) e armazenamento de cold wallets, carteiras digitais sem conexão com a internet.

A empresa acumulou mais de 1 milhão de inscrições para a lista de espera de sua plataforma NFT dentro de um dia após seu anúncio em 13 de outubro. Christiansen recomendou a empresa “por sua posição dentro da cadeia de valor de criptomoedas, um modelo de negócios 'baseado em rede' e estratégia, um conjunto de oportunidades inegavelmente grande... Sim, acreditamos no investimento em COIN.”

Ele também considera a "abordagem enxuta frente a conformidade regulatória" da Coinbase uma vantagem competitiva:
“Até certo ponto, acreditamos que as regulamentações crescentes podem ser um fator positivo para o posicionamento competitivo da Coinbase, particularmente em relação aos modelos de negócios que dependem predominantemente de mercados não regulamentados.”

Christiansen acrescentou que a ação está em uma posição para fazer “altos e baixos mais altos” à medida que aumenta a adoção de criptoativos. O banco de investimento americano Piper Sandler também elevou o preço-alvo das ações para 360 dólares.

Mas nem todos os analistas estão a bordo, com Kenneth Worthington do J.P. Morgan elevando sua meta de preço do COIN apenas ligeiramente para entre 372-375 dólares. No entanto, Lisa Ellis, analista sênior de ações da MoffettNathanson, disse que a COIN era uma "ação obrigatória" que poderia chegar a 600 dólares devido à recente parceria com o Facebook para sua carteira de criptomoedas.

A Coinbase abriu o capital em abril com um preço de oferta pública inicial de 381 dólares, atingindo um pico de 430 dólares no dia anterior ao recuo. O COIN atingiu uma alta mensal de 326 dólares na segunda-feira desta semana, mas caiu 4,3% desde então, para um preço de negociação após o expediente de 312 dólares, de acordo com a MarketWatch.

Pouco depois de ser listada, surgiram relatos de que insiders e executivos da Coinbase haviam começado a se desfazer das ações. A empresa obteve cerca de 1,6 bilhão de dólares em lucros no segundo trimestre, grande parte dos quais veio de suas taxas de transação acima da média do setor. O relatório do terceiro trimestre será lançado em 9 de novembro.

Em agosto, o apresentador do CNBC Mad Money, Jim Cramer, recomendou ações da Coinbase, sugerindo que os investidores alocassem 5% de suas carteiras para criptoativos.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube