Future of Money

MicroStrategy compra mais R$ 7 bilhões em bitcoin e reforça posição de maior detentora do ativo

Empresa de software segue apostando na criptomoeda como reserva de valor e fez novas aquisições no primeiro trimestre

MicroStrategy é a maior detentora institucional do bitcoin (Reprodução/Reprodução)

MicroStrategy é a maior detentora institucional do bitcoin (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 1 de maio de 2024 às 11h15.

A MicroStrategy revelou nesta semana que adquiriu mais 25.250 unidades de bitcoin ao longo do primeiro trimestre de 2024, um total equivalente a mais de R$ 7,8 bilhões, considerando a cotação atual do ativo. Com as aquisições, a empresa manteve sua posição como a maior detentora institucional da criptomoeda.

Os dados fazem parte do balanço trimestral da companhia, que registrou uma queda de receita na comparação com o mesmo período de 2023. Ao mesmo tempo, os investimentos na criptomoeda cresceram, com um preço médio de compra de US$ 65.232 por unidade nos últimos três meses.

Ao todo, a MicroStrategy possui agora 214.278 unidades de bitcoin, ou cerca de US$ 7,53 bilhões e com um preço médio de aquisição de US$ 35.164 por unidade. A empresa possui mais de US$ 2 bilhões em lucros com as compras, considerando a valorização da criptomoeda.

Phong Le, CEO da MicroStrategy, pontuou que o primeiro trimestre de 2024 configurou o 14º seguido de aquisições da criptomoeda, que são usadas como um ativo de reserva de valor pela empresa. Ele afirmou que a empresa "segue comprometida com o desenvolvimento da rede Bitcoin".

"Acreditamos que a combinação de nossa estrutura operacional, estratégia de bitcoin e foco em inovação tecnológica proporciona uma oportunidade única de criação de valor para nossos acionistas", disse o executivo.

Segundo Le, "no acumulado do ano, o preço do bitcoin valorizou significativamente, estimulado principalmente pela aprovação dos produtos negociados em bolsa de bitcoin à vista, o que aumentou a demanda institucional e resultou em maior clareza regulatória".

Nos últimos meses, a empresa tem competido com a BlackRock pelo título de maior investidora institucional da criptomoeda. No caso da gestora, porém, os investimentos no ativo refletem o funcionamento do seu ETF de bitcoin, que segue acumulando investimentos bilionários.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Bitcoin ou ether: o que comprar após forte queda das criptomoedas?

Empresa brasileira usa tokenização para permitir investimentos em hits do piseiro

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Mais na Exame