Medo extremo: índice registra pessimismo recorde no mercado enquanto criptos seguem ladeira abaixo

O mercado de criptomoedas segue em derrocada após o colapso de uma plataforma em blockchain e possíveis decisões do banco central norte-americano, com índice voltando a registrar pessimismo recorde
Bitcoin atinge menor valor desde 2020 (Thinkstock/Ridofranz/Reprodução)
Bitcoin atinge menor valor desde 2020 (Thinkstock/Ridofranz/Reprodução)
M
Mariana Maria SilvaPublicado em 14/06/2022 às 11:12.

O mercado de criptomoedas inicia esta terça-feira, 14, dando continuidade às perdas dos últimos dias. Sem sinais de recuperação, o preço das principais criptos segue em queda livre enquanto seu valor de mercado se mantém abaixo de US$ 1 trilhão, de acordo com dados do CoinMarketCap.

O volume de negociação, no entanto, é muito superior ao das últimas semanas, atingindo os US$ 233 bilhões segundo o CoinGlass.

O bitcoin é negociado por US$ 22.093 no momento, apresentando queda de 6,8% nas últimas 24 horas, de acordo com o CoinGecko. A maior criptomoeda do mundo, que apesar de ter caído mais de 50% desde sua máxima histórica, ainda mantinha certa lateralidade, com quedas menores que as outras moedas, passou a despencar com o pânico gerado em investidores pela plataforma Celsius.

Dando sinais de insolvência, a Celsius bloqueou os saques na plataforma para evitar que o fenômeno se concretizasse. A insolvência consiste na impossibilidade de uma plataforma ou instituição de honrar uma grande quantidade de saques ao mesmo tempo.

A paralisação dos saques foi anunciada pela Celsius na última segunda-feira, 13, citando “condições extremas de mercado”. A empresa anunciou que também pausaria seus produtos de troca e transferência, de acordo com uma publicação, sem fornecer um cronograma para retomar as retiradas.

“Estamos trabalhando com um foco singular: proteger e preservar os ativos para cumprir nossas obrigações com os clientes. Nosso objetivo final é estabilizar a liquidez e restaurar saques, negociações e transferências entre contas o mais rápido possível. Há muito trabalho pela frente, pois consideramos várias opções, esse processo levará tempo e pode haver atrasos”, disse a Celsius.

(Mynt/Divulgação)

O banco central norte-americano também pode ter influência na queda da principal criptomoeda, após sinalizar a possibilidade de novos aumentos na taxa de juros do país.

“O bitcoin ontem teve uma das piores performances dos últimos anos, caindo 15% e perdendo todos os suportes sem nenhuma defesa, acompanhando os mercados americanos que também tiveram uma das piores performances dos últimos anos. O mercado se assustou com a forte sinalização do Fed de que subirá os juros em pelo menos 0.75%, em função da inflação, que é a mais alta dos últimos 40 anos”, comentou Felipe Medeiros, analista e sócio da Quantzed Criptos, empresa de tecnologia e educação financeira para investidores.

Para ilustrar o pessimismo do mercado cripto, o Índice de Medo e Ganância volta a registrar 8 pontos, menor valor de 2022. A pontuação, que representa o “medo extremo”, serve para sinalizar aos investidores o sentimento do mercado e ajudá-los em suas decisões.

O ether, a criptomoeda nativa da rede Ethereum, acompanha as quedas de sua predecessora há algumas semanas. No entanto, depois de ter sofrido com o movimento de grandes players que atuaram para forçar uma chamada de margem da Celsius em stETH, segundo Medeiros, a cripto se posiciona de forma mais vantajosa nesta terça-feira, 14.

O stETH é um token que atua como uma espécie de recibo para quem realizar o staking de ETH para a Ethereum 2.0 na Lido Finance. Ou seja, para que uma unidade de stETH seja emitida, é necessário que uma unidade de ETH fique travada dentro do contrato na Lido. O processo de staking é utilizado para gerar renda passiva a partir do investimento em criptomoedas e ocorre a partir do “bloqueio” de sua movimentação.

Negociado por US$ 1.199 no momento, o ether perde 2,8% nas últimas 24 horas, queda que já pode ser considerada “pequena” em comparação com outras criptomoedas do mercado.

Por outro lado, criptomoedas como Solana, Polkadot, Avalanche e Chainlink apresentam um certo alívio aos investidores. Subindo 9,3%, 8,7%, 6% e 12,6%, respectivamente, segundo dados do CoinGecko.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok