LUNA quer bifurcação e Vitalik Buterin pede ressarcimento de investidores

Queda de 99% da LUNA e desligamento do blockchain Terra ainda dão o que falar entre nomes importantes da indústria e criador luta contra o tempo para tentar salvar criptomoeda do fracasso
Vitalik Buterin criou Ethereum e agora pede pelo ressarcimento de investidores (Getty Images/Bloomberg)
Vitalik Buterin criou Ethereum e agora pede pelo ressarcimento de investidores (Getty Images/Bloomberg)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 16/05/2022 18:40 | Última atualização em 16/05/2022 18:40Tempo de Leitura: 4 min de leitura

As criptomoedas LUNA e UST protagonizaram uma verdadeira tragédia anunciada na última semana. Chegando a quase zero, elas deixaram muitos investidores no prejuízo e seu blockchain teve que ser desligado para evitar ataques cibernéticos.

Criadas pela Terraform Labs, LUNA e UST se sustentavam a partir de um sistema em que para cada UST emitida, um dólar em LUNA era “queimado”, ou seja, deixa de existir. Isso porque a UST é uma stablecoin, criptomoeda estável que acompanha o valor do dólar norte-americano.

Diferentemente de outras criptomoedas do tipo, que possuem um lastro em dólar ou outros ativos, a UST é uma stablecoin algorítmica. Por conta disso, a sua paridade não é garantida por reservas no ativo em questão, mas sim pelo sistema que tinha como apoio a LUNA.

No entanto, dentro deste modelo, existem alguns riscos, como a chance do token LUNA perder muito valor e sua "queima" não ser suficiente para lastrear o UST. Foi o que aconteceu na última semana, fazendo com que a stablecoin perdesse a sua paridade com o dólar.

Este foi o estopim de um movimento de pressão vendedora ainda pior nas criptomoedas da rede, gerando perdas de mais de 99% para a LUNA e fazendo com que a UST fosse cotada a US$ 0,10 ao invés de US$ 1.

(Mynt/Divulgação)

Desde então, o desespero tomou conta de investidores e as palavras “LUNA” e “Terra” viraram o assunto do momento, ganhando destaque nos trending topics do Twitter por vários dias seguidos. Muitos dos que perderam dinheiro com seus investimentos pediam por medidas para a recuperação da rede ou o ressarcimento, e agora eles ganharam um grande apoiador: Vitalik Buterin.

O criador da rede Ethereum, que abriga a segunda maior criptomoeda do mundo, foi às redes sociais no último sábado, 14, para comentar o caso que domina o universo cripto desde a última semana. De acordo com Buterin, a prioridade deveria ser os investidores menores, ao invés daqueles que possuem milhões nas criptomoedas.

Um usuário do Twitter chamado “Persian Capital” sugeriu que as 99,6% carteiras “mais pobres” da rede deveriam ser priorizadas, para que a maioria pudesse escapar do prejuízo. Buterin compartilhou a publicação, adicionando: “Apoio fortemente. Simpatia e alívio para o investidor médio que acreditou nas besteiras que algum influencer contou sobre ‘20% de renda passiva em dólar’ e responsabilidade social e ‘sinto muito pela sua perda’ para os ricos”.

Enquanto isso, Do Kwon, o criador da rede Terra, luta para tentar salvar sua segunda criação do fracasso. Nesta segunda-feira, 16, a Terraform Labs anunciou um novo plano de recuperação, já que o primeiro não deu certo.

Trazendo algumas características do plano inicial e sugerindo uma bifurcação na rede, os donos de tokens terão até o dia 18 de maio para votar na proposta, chamada de “Terra Ecosystem Revival Plan 2”, ou “Plano de Ressureição do Ecossistema Terra 2” em português.

Se aprovada, ela entra em vigor no dia 27 e promete “um novo começo” para a LUNA, desta vez sem a UST. É o que disse Do Kwon em uma carta aberta aos investidores nas redes sociais. “Terra é mais que a UST”, disse Kwon.

A bifurcação geraria uma nova rede, que continua sob o nome “Terra”, enquanto a rede que abriga as duas criptomoedas – e que permanece desligada – se tornaria “Terra Classic”. Os investidores poderão escolher se vão migrar ou não para a nova rede.

Um caso semelhante aconteceu em 2016, quando um ataque hacker foi responsável pelo roubo de US$ 150 milhões na rede Ethereum. Na época, esta era uma parte considerável do valor de mercado do ether, e membros da comunidade optaram pela bifurcação.

A rede foi dividida em duas em um ponto anterior ao ataque, gerando a “Ethereum Classic” e a Ethereum como conhecemos hoje. O plano deu certo e é o que Do Kwon espera que aconteça na rede que criou. “Ambas as redes coexistirão”, disse o criador da Terraform Labs.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok