Future of Money

Itaú anuncia negociação de criptomoedas em plataforma para clientes

Clientes do banco poderão comprar e vender bitcoin e ether por meio do Íon, aplicativo criado para investimentos pessoais

Itaú vai oferecer negociação de bitcoin e ether (Gustavo Gomes/Bloomberg/Bloomberg)

Itaú vai oferecer negociação de bitcoin e ether (Gustavo Gomes/Bloomberg/Bloomberg)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 4 de dezembro de 2023 às 10h57.

Última atualização em 4 de dezembro de 2023 às 11h21.

O Itaú Unibanco, maior banco privado da América Latina, anunciou nesta segunda-feira, 4, que vai iniciar a oferta de compra e venda de criptomoedas para os seus clientes no Íon, aplicativo de investimentos pessoais. No momento, será possível negociar apenas bitcoin e ether, as duas maiores criptos do mercado, com a liberação ocorrendo de forma gradual para os clientes.

Em um comunicado com o anúncio, o banco promete uma "jornada intuitiva, fácil e segura, em que os ativos digitais estarão custodiados no próprio Itaú Unibanco". Ainda segundo o Itaú, a oferta reflete um "amadurecimento e a evolução da regulação para ativos digitais, e tem como objetivo atender à demanda dos clientes".

Guto Antunes, head da Itaú Digital Assets, afirma que "nosso diferencial foi estudar a jornada, entender as necessidades do cliente e levar em consideração todos os aspectos do desenvolvimento regulatório. Entramos no mercado com uma conjuntura mais madura e a nossa custódia, estruturada com foco na segurança do cliente, é um elemento-chave".

Inicialmente, os clientes que já estão cadastrados no Íon poderão realizar investimentos nas duas criptomoedas a partir do valor mínimo de R$ 10. Além da compra, também será possível negociar os ativos adquiridos por meio da plataforma.

Para Cláudio Sanches, diretor de Produtos e Soluções para Investidores do Itaú, "a disponibilização de ativos digitais no íon Itaú vem reforçar nossa agenda estratégica, bem como trazer sofisticação e democratização dentro da jornada de investimentos que oferecemos aos nossos clientes”.

“Com essa novidade, ampliamos nossa prateleira de produtos e proporcionamos mais uma classe de ativos para diversificação, que deve ser feita de acordo com o perfil de cada um”, ressalta.

Plataformas de criptomoedas no Brasil

Com o anúncio, o Itaú se une a outros participantes tradicionais do mercado brasileiro que passaram a oferecer a possibilidade de comprar e vender criptomoedas a partir de suas plataformas. Empresas como Mercado Pago, Nubank e Magazine Luiza possuem oferta desses ativos para clientes.

Outro exemplo é o do banco BTG Pactual, o maior banco de investimentos da América Latina. A instituição lançou em 2022 uma plataforma cripto própria, a Mynt. Atualmente, a Mynt possui mais de 25 criptomoedas disponíveis para negociação.

Apesar dos avanços, o segmento de cripto em grandes empresas também teve desafios neste ano. As empresas XP, Avenue e PicPay anunciaram o fim das suas funções de compra e venda de cripto para clientes, com a XP encerrando a Xtage, sua plataforma de cripto, em outubro deste ano.

yt thumbnail

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:ItaúCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Goldman Sachs vai lançar projetos de tokenização de ativos até o fim de 2024

JPMorgan diz que mercado cripto terá nova alta em agosto, com queda nas vendas de bitcoin

Mais na Exame