Future of Money

Inteligência artificial lidera entre tecnologias mais trabalhadas por startups no Brasil

Levantamento aponta a existência de 111 startups brasileiras com foco na tecnologia, além de crescimento nos investimentos

Inteligência artificial tem ganhado espaço nas empresas (Reprodução/Reprodução)

Inteligência artificial tem ganhado espaço nas empresas (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 21 de junho de 2023 às 14h15.

Um levantamento divulgado pela Distrito aponta que a inteligência artificial lidera entre as tecnologias atualmente trabalhadas por startups no Brasil. O “Report Panorama Emerging Tech no Brasil” é o primeiro estudo da plataforma voltada à transformação das empresas por meio da inovação tecnológica, com objetivo de entender os impactos das tecnologias emergentes no contexto latino-americano.

Além da IA, temas como edge computing, blockchain, robótica, agricultura regenerativa, genômica e realidade simulada figuram entre as principais tendências para o futuro entre as 504 startups brasileiras sondadas pelo Distrito. Eles figuram entre as tecnologias mais trabalhadas e estudadas atualmente por essas empresas.

Desse grupo mapeado, foram identificadas 111 startups de inteligência artificial, 92 de Internet das Coisas (IoT), 71 de dataficação, 62 de robótica, 46 de blockchain, 46 de digital trust, 15 de impressão 3D, 14 de baterias, 14 de visão computacional e 9 de metaverso. As 24 startups restantes ocupam um campo diversificado, que inclui 5G, edge computing, genômica e biomateriais.

yt thumbnail

Alta nos investimentos

Apesar do início do ciclo de baixa no mercado financeiro em 2022, que atingiu em cheio os investimentos de capital de risco em projetos de startups, o estudo revelou uma curva de crescimento dos investimentos baseados em tecnologias emergentes. No total, de 2014 a 2023, foram 148 rodadas e US$ 242 milhões investidos.

“Esse crescimento dialoga com uma tese que vê o investimento pesado em novas tecnologias como um grande diferencial, não só capaz de garantir novas fatias de mercado, como também ajudar a superar ciclos de baixo; seja por meio de ganhos em eficiência ou reposicionamento do próprio modelo da empresa para um mais tecnológico”, afirma o Distrito no estudo.

Em contrapartida, o levantamento mostrou um número pequeno de fusões e aquisições (M&As, na sigla em inglês) em relação às tecnologias emergentes. “Em 2022, foram 211 M&As em todo o mercado de inovação, isso implica que os 23 eventos em Emerging Techs possuem uma representação inferior a 4% do total. Essa quantidade de movimentos dificulta o estudo de tendências a longo prazo”, informa o documento.

Entre os movimentos que ganharam destaque no mercado, está a aquisição da Zetta Health, uma empresa de inteligência artificial e analytics, pela Semantix, uma das deep techs pioneiras do país. Outras aquisições também envolvem a área de coleta e gestão de dado para saúde, segundo o Distrito.

Esse anúncio da Mynt não foi escrito por uma Inteligência Artificial. Mas somos tecnológicos. Nossa segurança é de ponta e nossa curadoria, de excelência. O que falta para você investir em crypto com a Mynt?

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialStartups

Mais de Future of Money

SEC autoriza lançamento de primeiros ETFs de Ethereum nos EUA

Investidores do bitcoin ainda não precificaram possível vitória de Trump, diz gestora

Bitcoin bate máxima histórica de preço em relação ao real, mesmo sem recorde em dólar

Bolsa de Chicago divulga data de estreia de ETFs de Ethereum nos EUA

Mais na Exame