Homem usa carro Tesla para minerar bitcoin e fatura até R$ 4.500 por mês

Eletricidade é o principal custo para minerar bitcoin, e o norte-americano Siraj Raval garante que consegue realizar a atividade de forma lucrativa utilizando seu carro elétrico
 (Siraj Raval/Divulgação)
(Siraj Raval/Divulgação)
Por Da RedaçãoPublicado em 09/01/2022 19:45 | Última atualização em 09/01/2022 19:45Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O principal "combustível" para minerar bitcoin é a energia elétrica. É ela, basicamente, que determina se uma operação de mineração será lucrativa ou não, e por isso empresas do setor costumam se instalar em lugares onde o custo energético é baixo. Para alguns proprietários de veículos Tesla a energia é gratuita. E eles estão utilizando os seus carros para gerar novos bitcoins.

Em entrevista à CNBC, o cientista de dados Siraj Raval como utiliza o seu Tesla Model 3 de 2018 para minerar bitcoin - e, segundo o próprio, ganhar até 800 dólares (4.500 reais) por mês com a empreitada. "É um computador com rodas", disse, explicando testou diferentes maneiras de usar o carro para minerar bitcoin mas a mais lucrativa foi hackear o computador interno do veículo e ligar as unidades de processamento gráfico (GPUs) diretamente no motor. Além disso, ele liga o seu computador Apple Mac Mini M1 na fonte de energia do automóvel.

A energia dos carros Tesla, claro, não é infinita - muito pelo contrário - e vem das suas baterias. Mas como, então, pode ser vantajoso usar o veículo como fonte de energia para minerar bitcoin? A resposta está na oferta de recarregamento vitalício grátis para quem comprou o automóvel elétrico nos primeiros anos da companhia. Hoje, a oferta está sendo gradativamente descontinuada.

Utilizar um Tesla para minerar bitcoin, claro, também tem riscos, já que pode provocar problemas no veículo e aumenta as chances de cancelamento da garantia pela fabricante. Para Raval, entretanto, vale a pena, especialmente quando o mercado está em alta, como no final de 2021, quando o bitcoin bateu seu recorde de preço - época em que ele obteve o seu recorde de 800 dólares mensais.

A opinião, entretanto, não é unanimidade. Chris Allessi, também ouvido pela CNBC e que afirmou ter feito operação semelhante em 2018, com o seu Tesla Model S, não vê sentido em continuar minerando com a energia do carro. "Por que você iria causar esse desgaste todo em um carro de 40 mil a 100 mil dólares?", questionou.

"Agora, apesar de o preço do bitcoin ter subido muito, a dificuldade (de mineração) também subiu. Se eu usasse o mesmo equipamento de antes e dedicasse a mesma quantidade de tempo, estaria ganhando 1 ou 2 dólares em bitcoin", disse, citando que em 2018 ganhava 10 dólares a cada 60 horas de mineração, o que seria equivalente a 120 dólares (675 reais) por mês, mas na época o preço do bitcoin era 90% menor do que o atual.

Raval continua otimista. Diz que minera bitcoin por cerca de 20 horas por dia com o seu Tesla e conta que, ao longo de 2021, lucrou entre 400 e 800 dólares (2.250 e 4.500 reais) por mês, sendo a empreitada positiva mesmo em momentos de queda no preço da criptomoeda, que pretende continuar a atividade.

Apesar do CEO da fabricante de veículos elétricos, Elon Musk, ser um grande entusiasta das criptomoedas, é bastante improvável que a mineração de bitcoin com o uso dos carros estivesse entre suas pretensões - assim como, por outro lado, é bastante provável que a atitude faça mesmo com que os proprietários percam suas garantias de fábrica.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok