Gigante da tecnologia, Samsung quer abrir corretora de criptomoedas na Coreia do Sul

Jornal sul-coreano revelou que sete empresas solicitaram autorização à Comissão de Serviços Financeiros do país para criar corretoras cripto, incluindo a Samsung
A Samsung é uma empresa sul-coreana (Andrew Kelly/Reuters)
A Samsung é uma empresa sul-coreana (Andrew Kelly/Reuters)
C
Cointelegraph BrasilPublicado em 23/08/2022 às 14:09.

Aproveitando a flexibilização da regulamentação das criptomoedas na Coreia do Sul promovida pelo novo presidente do país asiático, Yun Seok-yeol, a Samsung Securities, braço de investimentos e serviços financeiros da Samsung, e a Mirae Asset, um dos maiores grupos financeiros da Ásia, que também detém operações no Brasil, deverão lançar corretoras de criptomoedas em 2023, segundo uma reportagem do jornal sul-coreano NewsPin.

De acordo com a publicação, as duas corporações fazem parte de um grupo de sete grandes empresas sul-coreanas de valores mobiliários que ingressaram com pedidos de autorização e licenciamento no segundo semestre para atuarem como corretora de criptomoedas. Segundo a publicação, uma fonte de uma das empresas assegurou que “as discussões necessárias para o estabelecimento estão sendo finalizadas.”

(Mynt/Divulgação)

No caso da Samsung Securities, a empresa estaria em fase de estudos estratégicos com objetivo de estabelecer uma maneira segura de entrar no ecossistema baseado em blockchain por meio do desenvolvimento e operacionalização de uma plataforma de negociação de tokens de segurança (STOs) . O que teria sido frustrado no final do ano passado, quando a empresa tentou contratar funcionários para o desenvolvimento e operação de uma plataforma de negociação de criptomoedas.

Em relação à Mirae Assets Securities, a exchange ficaria a cargo da subsidiária Mirae Asset Consulting. Segundo a matéria, o banco está contratando pessoal de pesquisa e desenvolvimento para vários criptoativos, incluindo o bitcoin, ether e tokens não fungíveis (NFTs), o que seria uma espécie de força-tarefa antes da promoção do novo negócio.

A publicação, que não mencionou o nome das outras empresas postulantes, disse ainda que os pedidos de autorização acontecem na esteira da promulgação planejada pela Comissão de Serviços Financeiros da “Lei de Direitos Empresariais de Moeda Virtual (criptomoeda)”, regulamentação almejada pela Associação de Investimentos Financeiros e pela indústria de valores mobiliários.

A viabilidade das novas operações, segundo a matéria, acontece porque os STOs, NFTs, de valores mobiliários, sujeitos à Lei de Mercados de Capitais, estão incluídos na área de negócios das empresas.

Em outra operação, no final de março a Samsung fechou uma parceria para integrar seus modelos de Smart TVs premium à plataforma marketplace de NFTs Niftu Gateway, dos irmãos Winklevoss.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok