Future of Money
Acompanhe:

FTX deve quase R$ 300 mil para resort de cantor famoso nas Bahamas, mostram documentos

Executivos gastaram quantia exorbitante em resort nas Bahamas com dinheiro da Alameda Research, empresa do grupo FTX, e agora dívida integra processo de falência

Margaritaville, um resort nas Bahamas, foi criado em homenagem a um dos maiores sucessos do cantor Jimmy Buffet (Divulgação/Divulgação)

Margaritaville, um resort nas Bahamas, foi criado em homenagem a um dos maiores sucessos do cantor Jimmy Buffet (Divulgação/Divulgação)

M
Mariana Maria Silva

Publicado em 29 de novembro de 2022, 15h13.

A segunda maior corretora de criptomoedas, a FTX, pegou investidores de surpresa com um dos maiores colapsos da história do universo cripto ao declarar falência em menos de uma semana. No entanto, o caso segue surpreendendo por suas peculiaridades.

Depois de poliamor entre executivos e estratégias de pôquer aplicadas aos negócios, documentos de falência revelam que a FTX deve quase R$ 300 mil para um resort nas Bahamas.

O resort “pé na areia” chamado Margaritaville pode ter hospedado os executivos da Alameda Research, empresa do grupo FTX, por mais de duas semanas, conforme revelam os documentos.

(Mynt/Divulgação)

O Margaritaville, grupo de resorts fundado pelo Jimmy Buffet, cantor famoso dos anos 1960 e 1970, é um dos maiores credores da Alameda Research, conforme lista anexada no processo de falência da FTX.

A dívida é de US$ 55.319, o equivalente a mais de R$ 290 mil na cotação atual. O resort conta com temática tropical nas Bahamas e possui restaurantes e serviços de iate.

Classificado com quatro estrelas, o Margaritaville foi criado em homenagem a um dos maiores sucessos de Buffet, uma música de mesmo nome. Localizado na praia de Nassau, sua suíte presidencial mais cara tem a diária de US$ 3.300. Ou seja, o grupo de executivos da FTX pode ter passado mais de duas semanas hospedado no local com o valor da dívida.

Outros luxos do Margaritaville são pratos de US$ 160 e champagnes de US$ 62. Com o valor da dívida da FTX, os executivos da empresa poderiam ter consumido centenas de refeições. No entanto, a rede de resorts não revelou qual foi exatamente o gasto da empresa no local.

Além do resort nas Bahamas, o processo de falência revela que o maior credor da Alameda Research no momento é a Amazon Web Services, para quem a empresa falida deve US$ 4,6 milhões.

No entanto, as dívidas da Alameda Research podem soar até pequenas frente às dívidas da FTX, principal empresa do grupo. De acordo com o documento, um cliente não identificado está com um prejuízo de US$ 226 milhões na corretora, que chegou a ser a segunda maior do mundo.

A rápida falência da FTX teve início na própria Alameda Research, após documentos revelarem um balanço arriscadamente desproporcional da empresa, que possuía 30% em tokens FTT, emitidos pela FTX. Assustados com a informação, investidores geraram uma forte pressão vendedora no token e uma onda de saques na FTX, que passou a apresentar insolvência.

Cansou de tentar falar com alguém da sua Exchange? Conheça a Mynt, a única no Brasil com atendimento 24 horas e todos os dias, feito por pessoas reais. Abra agora sua conta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok