Future of Money

Executivo da Fidelity diz que a maioria dos investidores deveria ter alguma alocação de bitcoin

O chefe de estratégias de ativos digitais do Fidelity Bank explicou que a maioria dos investidores deveria ter posições no bitcoin, independentemente de sua tese de mercado

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 5 de junho de 2024 às 16h00.

Última atualização em 5 de junho de 2024 às 16h24.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

Matt Horne, chefe de estratégias de ativos digitais da Fidelity Investments, argumenta que os investidores devem alocar pelo menos uma pequena porção de seus portfólios em bitcoin, independentemente de sua tese de investimento na moeda descentralizada.

Em um relatório da CNBC de 4 de junho, Horne aludiu ao problema da paralisia de análise que aflige muitos investidores tradicionais e gestores de ativos quando se trata de investir em bitcoin e no mercado de ativos digitais:

"É difícil porque muitos investidores profissionais conseguem modelar todas as classes de ativos, dada a quantidade de dados que temos à nossa disposição agora. Com ativos digitais, você não tem esse luxo... e acho que isso é normal."

"É por isso que você precisa entender por que pode querer possuir isso, entender o potencial dessa tecnologia e, então, posicionar-se adequadamente", acrescentou.

Nível de alocação recomendada

O estrategista da Fidelity explicou que uma pequena alocação, geralmente entre 1% e 5%, seria pequena o suficiente para minimizar o risco se o bitcoin cair a zero, mas grande o suficiente para aproveitar qualquer alta da moeda digital e como proteção contra a inflação.

Os comentários de Horne refletem o interesse crescente de investidores institucionais e gestores de fundos em relação ao bitcoin e às criptomoedas — tecnologias que foram inicialmente descartadas ou ignoradas por muitas grandes instituições financeiras até recentemente.

O interesse institucional em bitcoin e outros ativos digitais aumentou após a introdução dos fundos negociados em bolsa de bitcoin à vista nos Estados Unidos em janeiro de 2024, impulsionando o ativo para mais de US$ 70 mil por moeda.

De acordo com o relatório mais recente da Coinshares Digital Asset Fund Flows, os fundos de bitcoin experimentaram US$ 148 milhões em entradas na última semana de maio, com o total mensal de entradas para fundos de bitcoin totalizando quase US$ 2 bilhões em maio.

Desde o início de 2024, os fundos de bitcoin e os produtos negociados em bolsa registraram bem mais de US$ 14 bilhões em entradas, enquanto os fundos de bitcoin vendidos a descoberto experimentaram US$ 12,3 milhões em saídas de capital em maio — indicando que o sentimento do mercado entre investidores de ETF e ETP permanece positivo para o bitcoin.

O relatório da Coinshares também observou que os fundos de investimento em bitcoin representam mais de US$ 74 bilhões em ativos sob gestão globalmente.

Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas do BTG Pactual e a curadoria dos melhores criptoativos para você investir.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:Fidelity InvestmentsBitcoinCriptomoedasCriptoativosFinanças

Mais de Future of Money

Hiperautomação, blockchain e Web3: o futuro da transformação digital

Independência financeira: empresas e corretoras cripto estão preparadas para esta demanda?

Drex: quase metade dos brasileiros não está convencida de adotar o real digital, revela pesquisa

Segurança, nuvem e IA generativa de mãos dadas no mercado financeiro

Mais na Exame