Future of Money
Acompanhe:

Ex-CEO da FTX vai prestar depoimento em audiência no Congresso dos EUA

Sam Bankman-Fried havia sido convidado a comparecer em sessões do Congresso que investigam a falência da corretora de criptoativos

Bankman-Fried e a FTX enfrentam problemas jurídicos em diversos países, incluindo EUA, Turquia e Bahamas (Bloomberg Via Getty Images/Reprodução)

Bankman-Fried e a FTX enfrentam problemas jurídicos em diversos países, incluindo EUA, Turquia e Bahamas (Bloomberg Via Getty Images/Reprodução)

J
João Pedro Malar

Publicado em 9 de dezembro de 2022, 11h51.

O ex-CEO e fundador da FTX Sam Bankman-Fried concordou nesta sexta-feira, 9, em comparecer a uma audiência no Congresso dos EUA sobre a falência da corretora de criptoativos, ocorrida em novembro deste ano. Com isso, ele prestará depoimento sobre o caso na próxima terça-feira, 13.

SBF, como o empresário é conhecido, fez um post no Twitter para confirmar sua presença em uma audiência do Comitê de Assuntos Financeiros da Câmara dos Estados Unidos. Ele disse, entretanto, que "ainda não tenho acesso a grande parte dos meus dados - profissionais ou pessoais".

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

"Portanto, há um limite para o que poderei dizer e não serei tão útil quanto gostaria. Mas como o comitê ainda acha que seria útil, estou disposto a testemunhar no dia 13", pontuou o ex-CEO. Bankman-Fried também foi convidado a testemunhar em uma audiência sobre o caso no Senado dos EUA, não informou se participará.

O empresário disse que buscará esclarecer durante o seu depoimento temas como "a solvência da FTX.US e clientes americanos, caminhos que podem retornar os fundos para usuários internacionais, o que eu acho que levou à falência e minhas próprias falhas".

Bankman-Fried afirmou que "eu me considerava um CEO modelo, que não se tornaria preguiçoso ou desconectado. O que tornava tudo muito mais destrutivo quando eu fazia essas coisas. Eu sinto Muito. Espero que as pessoas possam aprender com a diferença entre quem eu era e quem eu poderia ter sido".

A confirmação do ex-CEO da FTX ocorreu um dia depois da presidente do Comitê da Câmara dos EUA, a deputada democrata Maxine Waters, dizer que estaria disposta a intimar Bankman-Fried a comparecer à audiência.

"Com base em seu papel como CEO e em suas entrevistas na mídia nas últimas semanas, está claro para nós que as informações que você tem até agora são suficientes para um testemunho", destacou a parlamentar.

O presidente do Comitê do Senado dos EUA, o também democrata Sherrod Brown, não descartou intimar Bankman-Fried a prestar depoimento na próxima quarta-feira, 14.

Segundo ele, ainda existem "uma série de questões sem resposta" sobre como os fundos de clientes foram usados pela FTX, como os saques foram bloqueados e como Bankman-Fried "orquestrou uma forma de encobrir" o caso.

Além das investigações nos EUA, Bankman-Fried e a FTX enfrentam problemas jurídicos em diversos países, incluindo na Turquia e nas Bahamas, país sede da exchange e que já confiscou alguns fundos da corretora de criptoativos.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok