Ethereum 'original’ sobe mais de 50% enquanto investidores se preparam para atualização na rede

Após fala de criador da rede, criptomoeda que representa uma versão antiga da Ethereum dispara e recebe aporte de US$ 10 milhões
Ethereum Classic surgiu em 2016 após ataque hacker (NurPhoto/Getty Images)
Ethereum Classic surgiu em 2016 após ataque hacker (NurPhoto/Getty Images)
M
Mariana Maria SilvaPublicado em 29/07/2022 às 14:39.

Nas últimas semanas, uma criptomoeda vem chamando a atenção de investidores: a Ethereum Classic. Após seu preço subir mais de 50% nos últimos sete dias e somar um aumento de mais de 155% no último mês de acordo com dados do CoinMarketCap, a ETC gera debate entre investidores de todo o mundo.

Isso porque a criptomoeda conhecida como uma “versão antiga” da Ethereum não surgiu em uma boa fase. Em 2016, o blockchain Ethereum precisou passar por uma atualização chamada “hard fork” após um ataque hacker que tomou conta da rede.

Assim, ela foi dividida entre Ethereum Classic e Ethereum, deixando os hackers para trás com tokens ETC enquanto os investidores tiveram a opção de migrar para o que conhecemos como ETH, ou Ethereum atualmente.

(Mynt/Divulgação)

Durante alguns anos, a Ethereum Classic ficou no esquecimento. Mas isso mudou agora que a rede Ethereum irá passar por uma importante e aguardada atualização. Chamada “The Merge”, a atualização fará com que o blockchain da segunda maior criptomoeda do mundo passe a utilizar o mecanismo de consenso da prova de participação (PoS) para validar suas transações, e não mais a prova de trabalho.

Criada junto com o blockchain do Bitcoin, a prova de trabalho utiliza poder computacional para registrar novos blocos na rede, e é amplamente criticada por ambientalistas por conta de seu consumo de energia elétrica. Já a prova de participação pode ser considerada uma opção amigável ao meio ambiente, já que elimina o processo conhecido como “mineração”.

Parte da atenção dedicada à Ethereum Classic foi causada por seu próprio criador. Em resposta ao fato de que muitos investidores ainda preferem o modelo da prova de trabalho, Vitalik Buterin recomendou a criptomoeda, e chegou a chama-la de “Ethereum original” durante um evento na última semana.

“Existem diversos blockchains, como a Ethereum Classic, que é a Ethereum original, que não traiu a visão [do projeto] ao fazer um fork [por causa] da The DAO, é uma comunidade acolhedora, e acredito que eles definitivamente receberão os fãs da prova de trabalho”, disse Buterin.
“Isso nem sequer é uma piada, se você gosta de prova de trabalho, você deve usar a Ethereum Classic, é um bom blockchain”, acrescentou ele.

Além disso, a rede recebeu um aporte de US$ 10 milhões da Antpool, empresa ligada à Bitmain, para a implementação de melhorias na tecnologia.

Na última terça-feira, 26, a Antpool afirmou que vai incubar projetos criados nessa rede para incentivar iniciativas com a Ethereum Classic. “Vamos apoiar o ecossistema ETC e incubar projetos PoW de alta qualidade juntos!”, anunciou a empresa.

De acordo com Lucas Minchillo, analista da Titanium Asset Management, a teoria é que parte dos atuais mineradores da Ethereum estariam migrando para a Ethereum Classic, incentivados pela atualização “The Merge” e o aporte da Antpool na rede.

“Essa teoria até o momento está se concretizando, comprovada por um aumento de aproximadamente 32% na taxa de hash da rede em um período de 15 dias”, comentou Minchillo.

No entanto, para Lucas Josa, analista de research do BTG Digital Assets, é preciso considerar outras variáveis ao pensar em investir na ETC:

“Por ter um ecossistema pouco desenvolvido e que não conta com as principais aplicações desencentralizadas construídas na Ethereum, a Ethereum Classic tem passado por um movimento altamente especulativo, motivado principalmente pela The Merge, atualização que mudará o mecanismo de consenso da Ethereum de prova de trabalho para prova de participação. Dentro desse cenário, é importante ressaltar que não é somente a atração de mineradores para esse protocolo que está impulsionando o preço. Por mais que seja muito baixa, a possibilidade de um fracasso ou de erros críticos durante a atualização da Ethereum também traz certo otimismo para a Ethereum Classic em um prazo mais curto”, explicou.

“No segundo semestre de 2021, nós também vimos um movimento de preços altamente especulativo em outras plataformas de contratos inteligentes, principalmente quando apresentavam qualquer evolução minimamente substancial em seu ecossistema. Dessa forma, é possível perceber também que muitos investidores estão comprando os tokens da Ethereum Classic sob a premissa de que o ecossistema pode se desenvolver mais rápido a partir de agora, mas essa é uma visão distorcida sobre o momento e que não considera todas as variáveis possíveis”, concluiu Josa.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok