Acompanhe:

A BlackRock superou na última quarta-feira, 17, à marca de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões, na cotação atual) de ativos sob gestão no seu ETF de bitcoin. O produto de investimento na criptomoeda completa uma semana nesta quinta-feira, 18, e a maior gestora do mundo se tornou um dos principais destaques no novo segmento.

O ETF da BlackRock foi o primeiro entre os lançados após a autorização da SEC a chegar à casa de US$ 1 bilhão. Na prática, o fundo teve menos de sete dias de negociação, já que o mercado dos EUA não abre durante os fins de semana e o país teve um feriado na segunda-feira, 15.

Ao comentar a marca, o diretor de ativos digitais da BlackRock, Robert Mitchnick, afirmou que "estamos entusiasmados em ver o ETF atingir este marco em sua primeira semana, refletindo a forte demanda dos investidores. Isso é apenas o começo. Temos um compromisso de longo prazo focado em fornecer aos investidores acesso a um ETF de qualidade".

Pela atual composição do fundo, 99% dos ativos sob gestão (AUM, na sigla em inglês) são unidades de bitcoin, enquanto o 1% restante representa aquisições de dólar americano. Atualmente, são pouco mais de 25 mil unidades da criptomoeda e pouco menos de US$ 60 mil.

Considerando os dias de negociação, o ETF da BlackRock apresenta um volume diário médio negociado de 14 milhões de cotas de participação. A BlackRock pontuou ainda que tem observado um interesse tanto de investidores de diferentes perfis, com foco nos que "estão começando a olhar para essa classe de ativos [criptomoedas]".

Eric Balchunas, analista de ETFs da Bloomberg, aponta que ele apresenta a quarta melhor performance dentre todos os ETFs disponíveis nas bolsas dos Estados Unidos. Além do ETF da gestora, os fundos de investimento em bitcoin da Fidelity e da Bitwise também estão na lista, na quinta e décima posições, respectivamente.

No total, os ETFs de bitcoin acumulam um volume negociado de mais de US$ 10 bilhões desde a estreia nos Estados Unidos. Por outro lado, o fundo da Grayscale - que não era um ETF e recebeu autorização para ser convertido - acumula um desempenho negativo, com US$ 1,1 bilhão em retiradas.

Excluindo o fundo da Grayscale, os outros ETFs totalizam US$ 4,5 bilhões negociados e US$ 1,9 bilhões em entradas líquidas até a terça-feira, 16. Eric Balchunas, analista de ETFs da Bloomberg, destacou que esses nove ETFs de bitcoin somam US$ 2 bilhões em ativos sob gestão e possuem métricas "fabulosas para três dias".

"Deixe-me contextualizar o quão insano é o volume de US$ 10 bilhões [negociados, aproximadamente] nos primeiros três dias. Em 2023, foram aprovados e lançados 500 ETFs nos Estados Unidos. Hoje, eles faturaram um volume combinado de US$ 450 milhões. O melhor faturou US$ 45 milhões. E muitos tiveram meses para começar", pontuou o especialista.

Até quando você vai deixar de investir em crypto? Abra sua conta na Mynt e explore novas formas de investir sem medo. Clique aqui para desbloquear seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Solana está 'liderando a batalha' na área de pagamentos em blockchain, diz gestora bilionária
Future of Money

Solana está 'liderando a batalha' na área de pagamentos em blockchain, diz gestora bilionária

Há 4 horas

CVM das Filipinas proíbe Binance de operar no país após acusação de ilegalidade
Future of Money

CVM das Filipinas proíbe Binance de operar no país após acusação de ilegalidade

Há 5 horas

Stablecoin de dólar do PayPal tem queda de 38% na circulação em março
Future of Money

Stablecoin de dólar do PayPal tem queda de 38% na circulação em março

Há 6 horas

Criptomoeda ligada ao Telegram dispara 13% e entra na lista das 10 mais valiosas do mercado
Future of Money

Criptomoeda ligada ao Telegram dispara 13% e entra na lista das 10 mais valiosas do mercado

Há 8 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais