• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

El Salvador é o primeiro país a adotar bitcoin como moeda oficial

Congresso aprova 'Lei Bitcoin', que torna criptomoeda uma moeda de curso legal e obriga estabelecimentos e pessoas a aceitarem bitcoin como método de pagamento no país
 (Getty Images/Anadolu Agency / Colaborador)
(Getty Images/Anadolu Agency / Colaborador)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 09/06/2021 09:54 | Última atualização em 09/06/2021 13:13Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Congresso de El Salvador aprovou, na madrugada desta quarta-feira, 9, a lei que classifica o bitcoin como uma moeda de curso legal no país. A decisão faz do país centro-americano o primeiro do mundo a adotar uma criptomoeda de maneira oficial.

Presidente salvadorenho, Nayib Bukele anunciou o plano no último final de semana e deve sancionar a lei na manhã desta quarta. A ideia, segundo ele, é aumentar o dinamismo da economia e tornar o país mais atrativo para investidores.

"A 'Lei Bitcoin' acaba de ser aprovada por maioria qualificada na Assembleia Legislativa. 62 de 84 votos! História!", comemorou o presidente de El Salvador, em uma publicação no Twitter. Entre os 22 que não votaram a favor da nova lei estão três abstenções.

"Esta é uma lei que colocará El Salvador no radar do mundo, seremos mais atrativos para os investimentos estrangeiros", afirmou o deputado Romeo Auerbach, aliado de Bukele.

Anabel Belloso, da oposição, que votou contra o projeto, lamentou que a lei "não tenha sido discutida nem com especialistas, nem com paciência": "A lei tem muitas implicações no âmbito econômico e nem todos sabem como isto vai funcionar, levando em consideração que criptomoedas são voláteis no mercado, são instáveis", disse, segundo a AFP.

Com a nova lei, o bitcoin deverá ser aceito como forma de pagamento por "qualquer agente econômico" do país, excluídos aqueles que "por fato notório e de maneira evidente não têm acesso às tecnologias que permitem executar as transações em bitcoin".

Para fins contábeis, o dólar americano, moeda oficial de El Salvador, será usado como referência, mas o texto afirma que a taxa de câmbio do bitcoin "será estabelecida livremente pelo mercado" e que o Estado fornecerá alternativas de "conversão automática e instantânea entre o bitcoin e o dólar" para quem preferir assim.

Segundo Bukele, dar ao bitcoin o status de moeda de curso legal no país tem como objetivo gerar empregos e auementar a "inclusão financeira a milhares de pessoas fora da economia formal" - de acordo com o presidente, 70% da população de El Salvador é atualmente desbancarizada.

Além disso, o presidente salvadorenho disse, ainda, que o bitcoin poderá permitir que os salvadorenhos que vivem no exterior enviarem dinheiro aos amigos e familiares no país de forma mais fácil.

Atualmente, a economia de El Salvador tem grande dependência de remessas de dinheiro enviadas de outras partes do mundo, que representam mais de 20% do PIB. Dados mostram que mais de dois milhões de salvadorenhos que vivem no exterior enviam cerca de 5 bilhões de dólares (25 bilhões de reais) a cada ano ao seu país natal.

Os provedores desse tipo de serviço cobram taxas elevadas e as operações levam dias para serem efetivadas. Com o bitcoin, o custo e o prazo para essas transações seriam reduzidos consideravelmente: "Isso vai melhorar a vida e o futuro de milhões", prevê Bukele.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o seu funcionamento. Confira.

Veja Também