Future of Money

De US$ 0,00065 para US$ 2 milhões: menor unidade do bitcoin é vendida em leilão

Venda de satoshi criado após o halving da criptomoeda em um leilão chamou atenção pelo valor muito acima da cotação atual do ativo

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 26 de abril de 2024 às 11h19.

Última atualização em 26 de abril de 2024 às 11h34.

Um satoshi, a menor unidade possível de um bitcoin, foi vendido em um leilão nesta semana por cerca de US$ 2,13 milhões (mais de R$ 10 milhões, na cotação atual), um valor consideravelmente maior que a cotação normal desse tipo de ativo. O valor recorde, porém, está ligado ao momento do surgimento desse satoshi.

Os satoshis são a menor unidade possível criada pela divisão do bitcoin. Atualmente, 1 satoshi "comum" está cotado em US$ 0,00065, com mais de 100 milhões em circulação. Entretanto, o satoshi vendido no leilão foi considerado especial por ter sido criado exatamente no primeiro bloco após o último halving da criptomoeda, no dia 19 de abril.

Por causa disso, o satoshi foi apelidado de "sat épico". A raridade do ativo acabou atraindo investidores que se reuniram em um leilão organizado pela corretora de criptomoedas CoinEx na última quinta-feira, 25. O satoshi foi minerado pela rede de mineração Bitcoin viaBTC, que é uma parceira da exchange.

O ativo acabou sendo vendido por 33,3 bitcoins após 34 lances entre os interessados. Na visão da CoinEx, o leilão foi além de uma mera disputa pela compra e "marcou o reconhecimento da comunidade, a atenção da mídia [em torno do halving] e a adoção generalizado do bitcoin".

Como ocorreram apenas quatro halvings até o momento, existem apenas quatro satoshis "épicos" disponíveis no mercado. Os quatro receberam uma sequência específica de números como um registro para distingui-los dos demais por meio do sistema do protocolo Ordinals, que permite criar tokens não-fungíveis (NFTs, na sigla em inglês).

"Dado que os satoshis recebem identificadores exclusivos, eles inerentemente possuem maior valor colecionável. À medida que eventos periódicos ocorrem dentro da rede Bitcoin, alguns com mais frequência do que outros, a escassez [do ativo] é naturalmente promovida", comentou a CoinEx.

Responsável por minerar o satoshi raro, a viaBTC recebeu a nova recompensa padrão por bloco minerado, de 3,125 unidades de bitcoin, além de um total de 37,6 bitcoins no total de taxas pagas pelos usuários para acelerar a análise de suas transações, muitos com o interesse de registrá-las no primeiro bloco pós-halving. Com isso, ela obteve mais de US$ 2 milhões em taxas.

Espera-se que o próximo evento de halving do bitcoin ocorra em algum momento de 2028, quando a rede chegará no bloco 1.050.000. O evento resultará em uma redução pela metade das recompensas de mineração, que cairão para 1,5625 bitcoin por bloco minerado.

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Bitcoin encerra semana com recuperação, mas riscos com pressão de venda continuam

SEC encerra investigações sobre criptomoeda pareada ao dólar BUSD

MicroStrategy, maior detentora de bitcoin, anuncia desdobramento de ações nos EUA

Ethereum ronda maior nível de criptos "travadas" em staking, enquanto mercado espera ETFs

Mais na Exame