Criptomoedas despencam após dados revelarem que inflação nos EUA não diminuiu como esperado

Bitcoin, ethereum e as principais criptomoedas reagem negativamente a dados de Índice de Preços ao Consumidor dos EUA
Criptomoedas despencam após dados de CPI americano (SOPA Images/Getty Images)
Criptomoedas despencam após dados de CPI americano (SOPA Images/Getty Images)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 13/09/2022 às 11:01.

Última atualização em 13/09/2022 às 12:47.

O mercado de criptomoedas movimenta US$ 100 bilhões nesta terça-feira, 13. Em dia de divulgação de dados econômicos sobre a inflação nos Estados Unidos, as principais criptos demonstram reação negativa.

O bitcoin, a maior criptomoeda, recua de seu movimento de alta nos últimos dias. Cotado a US$ 21.336, o bitcoin cai 4,6% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinGecko.

(Mynt/Divulgação)

Contrariando expectativas de especialistas, a inflação recorde americana não diminuiu como esperado em agosto, segundo o Bureau of Labor Statistics.

Com um aumento de 8,3% no Índice de Preços ao Consumidor (CPI), os dados surpreendem economistas que esperavam que os preços subissem 8,1% em relação ao ano passado e caíssem 0,1% em relação ao mês passado, segundo estimativas da Bloomberg

Agora espera-se que o banco central do país continue sua política agressiva de aumentos nas taxas de juro, o que costuma prejudicar ativos de risco como ações e criptomoedas.

Logo após a divulgação dos dados, muitas criptomoedas apresentaram queda imediata. Além do bitcoin, o ether, a criptomoeda nativa da rede Ethereum, cai 8%.

Atualmente o segundo maior blockchain do mundo, a Ethereum passa por uma importante atualização, prevista para ser concluída em 15 de setembro. No entanto, a criptomoeda é cotada a US$ 1.608 no momento, mais de 67% abaixo de sua máxima histórica em 2021.

Outras criptomoedas também se destacam por suas quedas nesta terça-feira. Cardano, Solana, Polkadot, Polygon, Avalanche e Ethereum Classic despencaram 7,7%, 6,4%, 8,3%, 7,1%, 8,5% e 7,9%, respectivamente, de acordo com dados do CoinGecko.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok