Após nova queda, US$ 5,6 bilhões em derivativos de bitcoin são liquidados

Movimento de queda no preço do bitcoin ao longo desta terça-feira provocou liquidação em massa de investidores que apostavam na alta da criptomoeda

Um dia depois de registrar a maior queda diária da sua história, o preço do bitcoin voltou a cair nesta terça-feira, 23. Foram mais 17% de queda em relação ao dia anterior, fazendo com que 5,64 bilhões de dólares de investidores que apostavam na alta do ativo no mercado de derivativos fossem liquidados automaticamente.

No mercado de contratos futuros, as operações são alavancadas com empréstimos das corretoras, para que os investidores possam operar com valores maiores do que possuem. Assim, podem maximizar seu lucros, mas também multiplicam seu eventual prejuízo. Essas operações podem ser liquidadas com pequenas variações de preço, a fim de garantir que o investidor ainda terá saldo para quitar sua dívida.

Em uma operação com alavancagem de 10 vezes — isto é, quando o investidor pega uma empréstimo no valor de 10 vezes a quantidade que ele possui — a liquidação automática acontece quando o preço anda 5% para o lado contrário ao que ele apostou. No caso desta terça, com o preço da criptomoeda despencando, quem apostava na alta do ativo provavelmente teve sua posição liquidada de maneira compulsória.

Quando muitos investidores estão apostando em um mesmo cenário, caso o preço do ativo ande para o lado oposto, a probabilidade de uma liquidação em massa é altíssima, e foi justamente o que aconteceu nesta terça.

Segundo dados da empresa de análise Santiment, a movimento de baixa começou com uma única venda de 2.700 bitcoins, então equivalentes a 1,6 bilhão de dólares. Logo após a operação, um grande volume de vendas empurrou o preço do bitcoin para baixo, provocando a sequência de liquidações.

De acordo com o site de monitoramento de contratos futuros Bybt, foram 5,64 bilhões de dólares em liquidações no mercado de contratos futuros de bitcoin. As liquidações de posições "compradas" (apostando na alta do ativo) também são vendas e, assim, se forma um efeito de "bola de neve", que impulsiona ainda mais o movimento.

Em três momentos do dia, o preço do bitcoin atingiu cerca de 45 mil dólares, o valor mais baixo desde 11 de fevereiro. Segundo o analista de Joseph Young, esse é um suporte importante e, se for rompido nos próximos dias, poderá provocar um movimento de baixa mais longo e acentuado. No momento, o bitcoin é negociado a 48 mil dólares, mas apresenta bastante volatilidade.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.