"Compre no boato, venda no fato", diz especialista sobre queda do bitcoin

Otimismo por adoção do bitcoin em El Salvador é freado por queda de 20%; presidente diz que país comprou mais 150 bitcoins e especialistas vêem "movimento normal"
Bitcoin caiu quase 15% no dia em que El Salvador adotou oficialmente a criptomoeda (Yuriko Nakao/Getty Images)
Bitcoin caiu quase 15% no dia em que El Salvador adotou oficialmente a criptomoeda (Yuriko Nakao/Getty Images)
G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 08/09/2021 às 10:43.

Última atualização em 08/09/2021 às 11:35.

Depois de mais de um mês de empolgação e otimismo, com uma alta que levou o bitcoin a ser negociado acima de 52.000 dólares pela primeira vez desde maio e recordes de preço para vários outros ativos digitais, o mercado de criptoativos despencou na terça-feira, 7 de setembro, dia em que El Salvador adotou oficialmente o bitcoin como uma moeda de curso legal no país.

A principal criptomoeda do mundo caiu 15% durante o dia, passando de quase 53.000 dólares para menos de 45.000. O mercado cripto como um todo perdeu quase 20% de valor em poucas horas, quando viu o valor de mercado de todos os criptoativos somados, que era de 2,4 trilhões de dólares na segunda-feira, cair para menos de 2 trilhões na terça nesta quarta-feira, 8, soma 2,06 trilhões de dólares.

Apesar das perdas, vários especialistas seguem acreditando em novas altas e dizem que a correção nos preços é normal. "Foi um caso clássico de 'compre o boato, venda o fato'", disse Martha Reyes, líder de pesquisa da exchange Bequant, em referência às expectativas sobre a adoção do bitcoin por El Salvador, ao site Forkast. "Em geral, esse tipo de chacoalhão é saudável. Vimos movimentos parecidos antes de altas no mercado, como em novembro de 2020", completou.

Para Caroline Bowler, CEO da exchange australiana BTC Markets, essa volatilidade é esperada no mercado de criptoativos, especialmente quando vários ativos digitais estão registrando máximas históricas, e diz que esse comportamento é quase um "procedimento-padrão" e diz que não é possível dizer que a queda é um reflexo de perspectivas pessimistas sobre a adoção do bitcoin em El Salvador. "É um movimento muito recente e audacioso", disse, pedindo que não se tire conclusões precipitadas.

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, que tinha avisado a compra de 400 bitcoins pelo governo, viu o patrimônio perder 2,5 milhões de dólares em um dia. No entanto, ele foi ao Twitter dizer que o país comprara, após a queda, mais 150 unidades do ativo. "Comprando na queda, 150 novas moedas adicionadas", escreveu, quando o ativo caiu para menos de 45.000 dólares. "Parece que o desconto está acabando. Obrigado pela queda, FMI. Economizamos 1 milhão de papel impresso. El Salvador agora tem 550 bitcoins", completou, em uma segunda mensagem sobre o assunto.

Com a entrada em vigor da "Lei Bitcoin" no país, duramente criticada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), citado pelo presidente Bukele, comércios salvadorenhos devem aceitar a criptomoeda como método de pagamento. Até multinacionais como McDonald's e Pizza Hut, que não aceitam criptomoedas em nenhuma loja pelo mundo, começaram a receber pagamentos em bitcoin no país.

No momento, a principal criptomoeda do mundo é negociada a 46.500 e analistas afirmam que, se a moeda se mantiver acima de 42.000 dólares, pode retomar movimentos de alta no curto prazo. Caso contrário, novas baixas poderão ser registradas nos próximos dias.